sexta-feira, dezembro 04, 2009

De acontecimento mínimo em acontecimento mínimo...

Havia sido convidado para ir a uma recepção em casa do embaixador japonês em Lisboa. E lá fui. Levei a minha mãe que estava, como se pode ver, arrasadora. Como sempre, é preciso dizer.



Como ela queria tirar uma foto com as senhoras vestidas de kimono eu lá fui ter com elas e perguntei se o podia fazer. Em japonês, claro. E no final disse-lhes que estavam muito bonitas.
Continuo a gostar muito de ver as senhoras de kimono.

Foi a única foto que tirei. Mas vejam que estou num cantinho - esquerdo - da foto que saíu numa notícia alusiva a este pIqueno evento...

Confesso que estava um pouco de lado no início. Porque não conhecíamos ninguém e para ali estávamos a ver os senhores embaixadores, as senhoras finas e até a Rosa Mota. Sim, esa estava lá e com muito bom aspecto, é preciso dizer.
O senhor embaixador discursou e começaram os comes e bebes. Havia imenso sushi, como é de imaginar. Eu só comi dos de ovo - com uma omolete japonesa lá dentro - e até a minha mãe provou o seu primeiro. Mesmo sendo dos de ovo.
Também havia tempura - bem bom! - yakitori e outras iguarias.

Mais para o final reencontrei uma senhora que havia conhecido no Japão e que vive há já muito tempo em terras lusas. Foi óptimo falar com ela. E com outras pessoas.

Resumindo e concluíndo, gostei muito da recepção. Numa casa linda, num sítio fantástico e, como seria de esperar, toda a gente era simpatiquíssima!
E ainda por cima tive oportunidade de praticar o meu singelo japonês!

A minha mãe estava em extâse, como seria de esperar! Mas, cá para mim, deve ter-lhe apetecido atirar-se para a piscina! Mas não pôde ser!

O meu pai foi lá buscar-nos à porta - que chegar de motorista à frente dos polícias à porta dá sempre outro estilo!

Dali fui ao jantar de aniversário da minha Sandra, coisa mai' linda



E que linda estava lá, com uma das prendas que recebeu!




























Foi um óptimo jantar, cheio de risota, como seria de esperar. Mas mesmo a despedida não podia ser uma coisa calma, condizente com a calmaria da noite...

E eu ali à espera da carreira... Num misto de com este tempo, uma pessoa nem sabe o que vestir. É que preciso de ir buscar uma cardencial e os médico não me passa os medicamentos que eu quero. Já para não falar da gandulagem que anda por aí e isto está muito mau. Ai está, está!



Mas logo adoptei a minha pose de recepção em casa de embaixadores...



E a pose aiiiii é a Madonna ali. Ou qualquer coisa do género.






E a caminho de casa, ali nas traseiras do Bairro Padre Cruz, demos com esta instalação de arte - que só o pode ser mesmo - no meio de uma faixa de rodagem.






É como digo, amigos: ando de acontecimento mínimo em acontecimento mínimo. And so is life...

2 comentários:

V. disse...

Mas que bem vestido que tu estavas!!! Mesmo bom para essa gandulagem te assaltar :P

E quanto ao sofá...
"Oh mulher, toma lá um sofá!"
"Oh home!? Atão m'ondé que ma arranjaste isto?"
"Caiu do camiõn"
Tal qual...

São imagens reais... como o Albarran dizia.

(sorry, o meu humor anda estranho >_>)

Morgawayne disse...

posso perguntar onde foi o jantar da amig, que restaurante era? é que tem peixinhos na parede! E a minha mana ADORA peixes, era um sitio muito giro para a levar a jantar! :-)

smepre muito janota você!