terça-feira, abril 29, 2008

Zai jian Shanghai

Esta chegada a hora de dizer adeus a Shanghai, esta mega cidade cheia de gente, de lojas, de carros, de castanho no ceu, de gente simpatica e de frutas esquisitas!

O Scott e a Elecia foram dar uma volta antes de irmos para estacao de comboios. Vamos apanhar um comboio para Xi'an. Bem longe daqui. Na verdade, vao ser 14 horas de comboio. Mas e um sitio que quero mesmo ver e estou ansioso por isso. Mas ao mesmo tempo, estou um pouco receoso, porque nao sei como sao os comboios, que gente por la anda, que comida, as casas de banho. Enfim, voces entendem-se. Pelo sim, pelo nao, vou arranjar uma argalia... Nao vao ser as ditas cujas inabitaveis!

Hoje estivemos na pousada nao sei quanto tempo. A bem dizer, ja vimos tudo o que queriamos por aqui... Mas como andamos que nos fartamos, achamos por bem ir fazer uma massagem aos coutos. E la fomos nos, a conselho da menina da recepcao.
Chegamos la e pouco depois tinhamos um mocoilo para ca par de pes. Depois comecamos a falar (ou melhor, o Scott e o seu surpreendente mandarim entraram em accao) e foi um regabofe. Falamos de tudo, desde a bebe de 1 ano de um deles ate ao facto de eu provavelmente ter mais pelos nas pernas do que eles no seu corpo todo.



A massagem levou uma hora. 10 minutos nos ombros e os 50 minutos subsequentes nos pes. Saimos de la como se como uns anjinhos com asas, tal a leveza que sentiamos!

O Scott andava doido com uns noodles que eles fazem aqui, em que tem um monte de massa e cortam a coisa directamente para a sopa e servem-nos. E a ideia, convem dizer, nao soava nada mal, pelo que perguntamos aos nossos novos amigos qual seria o sitio indicado para comer tal petisco. E um deles, o da menina, levou-nos ate um sitio bem perto. Confesso que, estivesse sozinho, ou se visse tal tasca em Lisboa, nao punha la os pes... Mas estando na China e querendo experimentar a extreme China, nao podia deixar de seguir o Scott. E a Elecia tambem nao hesitou.

video


A verdade e que a comidinha estava mesmo boa. E aqueles coentros por cima estavam a matar! Mas que a ASAE ia ficar louca com o sitio todo, la isso ia...

Depois do almoco e porque estava farto da minha pIruca, resolvi que estava na hora e no lugar certos para me aventurar... E la fui eu...


O tipo que me cortou o cabelo foi sempre a abrir. O que eu gosto sempre, porque nao gosto nada de estar para ali sentado uma eternidade! E a menina da foto, ainda antes dele, lavou-me os longos cabelos loiros e massajou-me a cabeca! Que maravilha!
O Scott e a Elecia achavam o sitio muito estranho... Parecia um misto de cabeleireiro com casa de passe... E ainda nao estao muito convencidos do que era aquele sitio... Talvez haja para la uma porta secreta ou coisa que lhe valha!
Agora que penso nisso, havia la muita gaja, sim senhor. E gajos tambem. Com estrelas nos ombros, que o sitio era tematico e o tema era aeroportos. Nao podia ter acertado mais!

E assim esta a ser o nosso ultimo dia em Shanghai. Daqui a nada, la vamos nos para a estacao meter-nos em mais uma aventura de Os Tres.

Livin' la vida loca em Shanghai

Ora deixa ca ver o que andamos nos a fazer nesta terra neste dia... Ah, sim, fomos ver as vistas. Mas decidimos que, desta vez, a coisa tinha que ser mais light, que o dia anterior fora puxado.

Ficamos pela pousada de manha, que eu tenho que escrever as minhas cronicas, que ja nao consigo passar sem isso. Sou um blogodependente. Ja imagino a minha mae, na TVI, "Aiiii... o meu filho e blogodependente. Ai que eu sofro tanto!".
Mas chega de consideracoes meta-bloguisticas.

Metemo-nos no metro em direccao a um sitio chamado Yu Yuan Gardens.


A estacao nao e la mesmo ao lado, pelo que tivemos que andar um pouco. Mas esse pouco mostrou-nas a China profunda, cheia de obras, com vendas rua fora, com montes de gente, cuspidelas no chao... Aquilo que a gente pagou para ver! Yeah, right!




Mas la chegamos ao sitio, um grande complexo com um ar muito chines. Mas reparem la bem nesta foto...


Ah, pois e! Ate em terras do Uncle Mao ha MacDonald's!




A zona e muito agradavel, cheia de gente e lojas das boas. Nada a feira da Brandoa.

O jardim propriamente dito - tipicamente chines - fica ao lado deste pavilhao construido sobre um lago. E chegamos ate ele atraves de uma ponte aos zig-zags, que e uma coisa que fica sempre bem. Deviam pensar nisso quando construirem a ponte Chelas-Barreiro.


O Scott sabia de um restaurante ali mesmo que servia umas coisas (nao sei o nome, nao me lembro e agora nao me apetece investigar!) boas. E nos la fomos.



Eu nao bebi Tsingtao, que nao bebo dessas coisas. Era so mesmo para a foto.

Mas ca esta a papinha boa a que me referia. Uma especie de crepes. Nos escolhemos tres variedades: caranguejo, camarao e vegetais.



Ja saciados pusemo-nos a caminho do jardim propriamente dito.




O que eu me ri quando um senhor, a quem tiramos uma foto acompanhado de su muchacha e uma muchacha alheia, e ele me disse qualquer coisa do genero "obrigado Angelo. Na verdade, eu conheco-te!'. Eu nem disse nada de tao surpreendido que estava. E toda a gente se desatou a rir quando ele me disse que o Scott lhe tinha dito os nossos nomes e era por isso que ele sabia o meu. Quer-se dizer...


A zona e muito agradavel, sim senhor. Cheia de gente, mas vale mesmo a pena.
E depois la entramos pelo jardim adentro.







As vezes pensava que era um dos irmaos Shaolin!







Muita agua, muito verde, muitos pavilhoezinhos e muitas pequenas grutas. E engracado haver este pedaco de sossego no meio do caos que e a cidade de Shanghai!





Fizemos umas compras minimas, e la continuamos o nosso periplo, depois de retemperados pela calma do Yu Yuan Garden (haviam de me ver a tentar pronuniciar o nome... e que parece facil, mas nao e nada assim!). Fiquei surpreendido comigo mesmo, quando percebi que era capaz de me desenvencilhar em frances, a combinar tecnicas de regateio com a Elecia! Tudo isto top secret!

Ja com a lua la em cima - se a conseguissemos ver, claro esta - fomos ate ao Bund, junto ao rio, porque queriamos ir ao restaurante chines que a pousada nos tinha aconselhado.


Como nao sabiamos exactamente onde era perguntamos a um policia. Ja entradote. Uma simpatia, ele. Fomos a falar rua abaixo, que ele fez questao de nos levar ate quase ao nosso destino.
Tentamos tirar uma fotografia com ele, mas ele disse que o patrao dele nao permitia... O que e uma pena, porque o senhor era simpatico e divertido e valeria a pena recorda-lo.

La demos com o restaurante. BEEEMMMM... Provavelmente o sitio mais posh da cidade, isso vos digo eu. Pessoas para abrir a porta, pessoas para nos meter o guardanapo todo pipi no colo, pessoas para isto, pessoas para aquilo, um look perfeito e lindissimo, uma casa de banho onde dava para viver. Sim, que com as coisas que ha por aqui, seria perfeitamente verosimil!

Eu mandei vir uma galinha no forno com sumo de limao. Quando trouxeram a coisa, e estando nos num sitio todo kiki, la vinham tres fatias de peito de galinha. Sim, leram bem. Mas a coisa era lindissima e assim que a meti na boca os meus sentidos entraram numa espiral de prazer: a galinha estava como que caramelizada com o limao, o que lhe dava um sabor adocicado, mas com aquele je ne sais quoi citrico. Uma maravilha!

Mas o que, a meu ver, tornou a noite ainda mais incrivel foi a musica tipica chinesa a sair das maos e dos instrumentos de duas senhoras logo por detras de nos. Eu estava fascinado.
Para nao parecermos uns bimbos la da xanta terrinha, nao tiramos fotos... Mas eu tinha que trazer um bocado desse momento...

video


Depois do repasto, atravessamos a rua e fomos ate ao outro lado para tirarmos umas fotografias junto ao rio, com os arranha-ceus de Pudong por detras. Nao tenho fotos disso neste momento, porque a minha maquineta e como eu e nao funciona muito bem by night!

Mas ca esta o monumento aos herois nao sei do que...


Depois fomos ate Nanjing Road onde bebericamos um pouco e demos com este belo exemplo da China moderna: a bandeira, vermelha, comunista, e as luzes de neon, tao selvaticamente capitalistas!


No meio disto tudo e engracado dar com pessoas que vao a andar e a cantarolar ou a conduzir um taxi a trautear uma musica qualquer... A China e o Japao sao tao diferentes!

domingo, abril 27, 2008

Ping pang pong feng shui

Ora, acordei cedo, esta bom de ver. E eles sempre a dormir. Nao percebo porque...



Levantei-me, lavei-me e ao vestir-me constatei uma coisa girissima, que ha uns anos seria impensavel: a minha indumentaria e toda de sitios diferentes. Senao vejamos:
Tennis de Portugal; Meias de Singapura; Calcas, oculos e t-shirt interior do Japao; Briefs (que "cueca" e palavra feia!) dos EUA; T-shirt de Kuala Lumpur, da feira de Carcavelos la do sitio. Se calhar tudo made in China... Como vem, sou um simples. Um mero simples.

Tomei o pequeno almoco e eles sempre a dormir. La os fui acordar as 10.30, que Shanghai estava a nossa espera!
Na verdade, eles ja me disseram que, quando chegaram de manha, estavam receosos que eu ja estivesse acordado e nao os deixasse dormir! Mas desde de quando e que eu me ponho a pe as 6 da matina!? E haviam de ver a Elecia com os seus dedinhos a imitar-me a mexer no computador a ler as noticias. Na cabecita dela e isso que eu faco logo as 6 da manha!

A verdade verdadinha e que nao saimos da pousada sem vermos os nossos emails nessas maquintas incriveis que sao os novissimos iPod touch (porra, que nao me canso de falar neles!).


Bem, la nos despachamos e saimos porta fora.



Uma coisa que notamos logo, ainda antes de aterrarmos, e que a China, enfim, como e que hei-de dizer isto!? Nao e o sitio mais asseado do mundo... Quanto mais nos aproximavamos de Shanghai, mais o ceu era menos azul. Mais acastanhado. E vao poder ver isso numas fotografias la mais para a frente.
E ha lixo em qualquer lado, sobretudo nas zonas mais desfavorecidas, que estao misturadas com zonas todas bem.
E depois ha aqueles tipos que andam pela rua fora, puxam da escarreta e la vai disto para o meio do chao. Bem a Tony de camisa aberta, unhaca do mindinho grande, cordao de ouro ao pescoco e problemas que dao comichao nos tomates... Mas depois admiram-se de as doencas aqui se propagarem como a palavra do Senhor nos tempos da Inquisicao...
O asseio (ou falta dele), alias, e uma coisa que nos faz especee, vindos nos de terras niponicas...

La fomos nos ate Nanjing Road, aquela que se apanha para irmos para a Rinchoa.
Estavamos a procura de um resturante todo pipi que o Scott tinha visto e tal, mas acabamos por nao o encontrar...



Fomos, isso sim, a um restaurante chines (nem vos digo o que tivemos que andar para encontrar um!), que uma tipa que estava a tentar vender-nos coisas nos indicou.
Estava um pouco receoso, claro esta, mas ate nao foi uma ma experiencia de todo e ainda nao estou com diarreia! Por isso, prueva superada!


Comi uma galinha nao sei das quantas com castanhas e arroz. Pena foi a coisa ter demasiados ossos...
O restaurante e nesta rua, se por acaso algum dia por la passarem...





Como diria o Zack, o tal ingles que conhecemos na pousada, Pequim e mais historia e tal e Shanghai e mais virada para o futuro. E a prova acabada - ou nem por isso, porque ha areas em construcao para onde que que nos viremos - e Pudong, cheia de arranha ceus e predios todos xpto. Daqueles que eu gosto.

Aquele que eu queria mesmo ver e o predio em segundo plano, ainda em construcao, o world financial centre ca do sitio. Quando terminado, sera o predio mais alto da China.


E e nesta mesma area que fica a Orient Pearl Tower.


Confesso que nao tinha grande interesse, mas estar ali junto a dita cuja... Aquelas formas rolicas nao me podem deixar indiferente!





A fila para entrar nem era muito grande. E, na verdade, eu e a Elecia nem faziamos questao de ir ate ao ponto mais alto, algures a 350 metros de altitude... Mas la fomos, com o Scott a conseguir convencer-nos.






As vistas sao o que se ve. Predios e mais predios e mais predios. E giro ver o contraste entre os arranha ceus e os predios baixinhos logo atras, nesta ultima foto.
O pior e que para se chegar la acima e preciso mudar de elevador e e preciso estar a espera nao sei quanto tempo... E digamos que esta gente e muito empurradica... Ou entao, pura e simplesmente, fingem nao ver a fila e metem-se a frente. Claro que o Angelino Jolie, ainda para mais em terras comunas, nao se deixa ficar e por duas vezes reclamou de imediato! La esta, era o que faltava!

Descer tambem nao foi facil. Filas e mais filas para este elevador e para aquele. Mas a vista valeu a pena, digo eu. O que nao foi nada bonito foi o alarme do elevador ter dado sinal por duas vezes quando nos entramos no dito cujo... A segunda vez, sai so eu (ate porque so eu devia pesar 57.2% do peso total permitido!), mas da primeira ate a Elecia teve que sair. Chamei-lhe gorda, que eu nao posso sentir-me miseravel sozinho!

No res-do-chao fizemos um intervalito, porque depois de tanta espera, empurranco, chineses a falar bem alto, elevadores a apitar de cheios e chamadas de atencao para o pessoal nao entrar a ma-fila (eu nao estava sozinho nessa, porque havia um frances a reclamar tambem) estavamos a precisar de uma pausa kit kat, ou melhor, uma pausa gelado de chocolate.



Estava chegada a altura de deixar Pudong para tras.

Foi por esta altura que fizemos uma descoberta fantastica: como eu e a Elecia nao percebemos nada de chines (o Scott, esse genio de Boston, estudou e sabe um pouco) achamos que eles so dizem uma coisa... Ping pang pong feng shui.
Eu sei que isto e estupido e nao faz sentido nenhum... Mas a Elecia ja chorava de tanto rir!

Logo ao lado da torre ha um tunel por debaixo do rio (que, tenho a certeza, nao levou 10 anos a contruir como a estacao do Terreiro do Paco!) com umas carruagens que nos levam ate a outra margem. E, conforme publicitado, um tunel todo psicadelico. Tinha ca para mim que nos iam dar LSD ou exctasy... Mas nao...

video

video

Ok, nao e uma experiencia do outro mundo, mas nao deixa de ser interessante. Mas, como diria a Elecia, "quem e que se lembraria de investir numa coisa destas?!"... E o lado Ferengi, sempre pronto para o negocio, dos chineses.

Et voila, estavamos no outro lado do rio, no chamado Bund.




E falando em oportunidades de negocio... Digamos que estar neste miradouro junto ao rio foi uma experiencia surreal... Assim que subimos as escadas depois de atravessarmos a estrada por uma passagem subterranea com o tema Van Gogh (va la saber-se se as copias pagam direitos ou nao... afinal estamos na China!), fomos tomados por vendedores de coisas. Piores que os ciganos, so vos digo. Eles vendiam bonecos que ficavam espalmados no chao e depois voltavam a sua forma original, e postais, e coisas feitas em cestaria, e Rolex e papagaios de papel e plastico e, provavelmente, de anti-materia, se a houvesse.
Eu comprei um papagaio de papel, super comprido, que chegava la bem perto dos deuses, no ceu. Sera que escrevi "deuses"?! Isto e a China vermelha... Nao ha "deuses" para ninguem aqui!
Assim que comprei a coisa, por 20 yuan (uns 2 euros), estavamos rodeados de vendedores ambulantes... E as ofertas nao paravam... Chegaram a ser de 10 papagaios por 30 yuan! E eu so pensava "mas quem e que precisa de 10 papagaios de papel!?".
E tambem tentaram vender t-shirts e rodas para por nos tennis ao que eu sempre regia com um "se eu me meter nisso ainda parto pescoco!" Mas uma das tipas era mesmo insistente. A dos 10 por 30!


E a publicidade esta por tudo quanto e lado, como se pode ver... Um barco fretado de proposito so para transportar um ecran gigante.

video



Andamos mais um pouco. Estavamos todos cansaditos, como se pode imaginar. Andamos que nos fartamos!
Andavamos a procura do sitio onde tinhamos ido ontem jantar, porque tinhamos visto uns restaurantes italianos por ali e estava a apetecer-nos uma pizza como deve ser... Mas nao demos com o sitio e acabamos numa outra area agradabilissima, com restaurantes de todo o lado... Ou quase... Nao havia um italiano...



(Ler a Jose Hermano Saraiva) Foi aqui, por tras de mim, que aconteceu o primeiro congresso do partido comunista na China.


(Ler como uma pessoa normal, que nao esteve no governo da ditadura - digo estas coisas por ainda estarmos na onda do 25 de Abril e eu ter que agradar a todas as correntes de pensamento que leem este blog) A zona nao e nada chinesa. Alias, grande parte de Shanghai nem parece a China. As vezes parece que estamos em Londres ou na Buraca.


Acabamos por jantar ali mesmo. Estavamos tao felizes por comer comidinha da boa. A nossa opcao para o jantar foi comidinha alema. E que estava bem boa.



O jantar custou quase tanto como as tres noites aqui na pousada... Mas valeu tanto a pena, porque saimos dali prontinhos para dormir. Mais eles que eu, que eu ainda vim para aqui escrever as minhas historietas.