terça-feira, dezembro 29, 2009

Cenas avulsas

Estes últimas dias tenho andado por aí a fazer coisas.





Neste dia houve uma corrida na Baixa de Lisboa e os eléctricos andavam doidos. Informação, nem vê-la. Claro que já seguiu uma reclamação para a Carris.

Reparei que Lisboa está cheia de espanhóis. E muitos japoneses. Assim daqueles kikos.

Estava no eléctrico, no Camões, e a senhora japonesa estava abismada com o pendura.
Disse-lhe bikurishita ne!? E ela so so. EHHHH?! Ele interveio pasmado em ouvir japonês nihongo? E eu hai. Chotto nihongo shaberu. E ele sai-se com o tradicional nihongo jozu desune?
O eléctrico chegou à minha paragem - logo a seguir - e eu despedi-me com um tanoshinde ne!

Dei mais voltas.



Uma menina de seis anos perguntou à mãe, ali de Chelas ou arredores, com que idade perdera ela a virgindade...

Na Baixa dei com este exemplo de fotografias com modelos lusos. A fazer lembrar as perikura japonesas, assim com bonecada e coisinhas fofinhas.













Houve jantar, porque o Daniel lá de New York está cá de férias natalinas...

Nesta foto, reparem na personagem à la Betty Grafstein como pano de fundo.



Nós os dois, a fazer lembrar o nosso passeio pelo Oeste americano.



O menú.



Também houve almoço com a prima, aqui numa pose de líder partidária enxertada em Tyra Banks.



O caminho a pé entre o Saldanha e o Torel está cheio de coisas...

Por exemplo, esta vaca idiota que ri.



E Lisboa tem destas coisas absolutamente deliciosas, bem no seu coração.





No Campo Mártires da Pátria.





O elevador da Lavra.







Nas Portas de Santo Antão.













O Hugo, essa pessoas extraordinária que vive agora nas Filipinas - sim, leram bem, está de férias no chuvoso Portugal. Resultado: gelado, muita conversa e chocolate quente. Com a Telma e a Rosa Vánessa.

















E mais umas fotos a caminho dos Restauradores, depois de deixarmos a Telma no carro. E o Starbucks do Chiado foi para esquecer... A fila era enorme e nem havia lugares. É o problema do Starbucks, é o que é.





Na Amadora. Na estação de metro da Amadora Este.













E o metro faz 50 aninhos hoje.



Dos metros mais belos que conheço, devo dizer. Há estações maravilhosas - como o Parque, a Baixa Chiado ou até as Olaias ou o Terreiro do Paço.
Assim de repente, em termos de beleza, só me lembro da rocha esculpida do metro de Stockholm e da estética maravilhosa da Jubilee Line de London...

7 comentários:

Cor do Sol disse...

Leva-me a passear, levas? Estou mesmo mesmo mesmo a precisar ;)

Beijo

Pulha Garcia disse...

Bom ano para ti, Angelo.

("Reparei que Lisboa está cheia de espanhóis.", é por isso que eu vou fazer o percurso inverso... para honrar a nossa camisola)

pinguim disse...

A C.M.L. tem que te contratar pois as tuas descrições da cidade são magníficas.
Bom ano para ti.

Anónimo disse...

Foste no 28? Gosto tanto...
Lá está, 2010 vamos passear de 28 e por onde quiseres! Digo-te desde já que vou penteadinha e não olho para debaixo da mesa! ehehe!
beijoca grande lindinho!!
Inês

Apple disse...

Querido Angelo,

vir aqui deixa-me sempre com um sorriso. Obrigada!!

Um excelente ano para ti, com tudo do melhor, a fazer justiça à pessoa encantadora que és.

Um grande beijinho

Pepita disse...

Filhote,

Estás cada vez melhor fotógrafo!

Acho que tens que pensar melhor na hipotese de... :-)

Parabéns!

Beijinhos,
Mommy

JS disse...

Olha Angelo tu és um excelente fotógrafo!

Que 2010 te traga tudo o que desejas!

Um abraço*