sexta-feira, junho 19, 2009

Ainda a bendita da santa paciência

Estes japoneses são das pessoas mais simpáticas e voluntariosas que alguma vez tive o prazer de conhecer. Dizer-lhes adeus será muito mais difícil do que possam dizer. Apesar do cansaço que sinto em relação a isto, tenho uma história aqui. Um canto meu, amigos, grandes amigos, pessoas que se preocupam comigo, dinheiro, uma vida como nunca. Mas estar constantemente a ouvir o mesmo, cansa.
Eu sei que já tenho vindo a falar do mesmo desde há algum tempo. Mas a verdade é que me anda a fazer mais confusão.

A história da barriga e do peso arrasta-se desde que virei uma baleia há uns 3 anos, logo depois de chegar aqui. É que é constantemente. E eu ponho-me a pensar se esta gente se preocupará com as gentes a fumar em restaurantes sem ventilação nenhuma. Com criancinhas lá dentro e tudo. E as pielas que apanham que os deixam completamente KO e às vezes até acabam no hospital. Então isto não constitui um problema?

Sinceramente, pouco me importa o que possam dizer ou pensar de mim. Eu já era um pouco assim antes de vir para o Japão, mas desde que aqui estou, e com a importância dada a miudezas que não lembram ao menino Jesus, as coisas ainda me passam mais ao lado. É que quanto mais insistem em tornar-me num borg igual a eles, mais eu resisto. Pior para mim, pior para eles. Live with it!

Também acho curioso que esta gente costuma vestir-se mal como o caraças. Ainda no outro dia o meu pai me dizia que tinha a certeza que tinha visto uma japonesa a pavonear-se Évora afora, tal era a sua indumentária. Mas ninguém diz nada, ninguém comenta, nem olha. O que eu acho fantástico, que é assim que deve ser. Cada um na sua. Mas então porquê que implicam com a minha barriguita kika? Porque sou um estrangeiro bem disposto que dá confiança a toda a gente? Pois... Deve ser por isso...
Mas uma coisa vos garanto, a próxima piada sobre a pança e levam que contar!

Quando chegar a Portugal é óbvio que me dirão que estou mais gordo e tal. Mas há dois anos que não meto lá os pés e acharei esses comentários naturais. Certamente eu comentarei quando vir amigos mais magros, carecas ou zarolhos.
Mas ouvir as mesmas piadinhas todos os dias dá-me cabo da cútis.

É esta da barriga e a história dos pauzinhos. Perguntem a qualquer estrangeiro e qualquer estrangeiro no Japão vos falará do sorriso amarelo que lança cada vez que um japonês lhe diz é muito bom com os pauzinhos. A mim dá-me vontade de lhes dizer fod*-se que eu não sou burro e isto não é assim tão difícil! Mas normalmente fico-me pela segunda oração da frase. E também não lhes solto um e tu? Sabes usar faca e garfo? Porque seria rude e eu sou um bem educado.
Eu até compreendo que querem fazer conversa e ser simpáticos... Mas não há cú que aguente os mesmos comentários ao fim de quatro anos... Porque um estrangeiro será sempre um estrangeiro e objecto de espanto e olhares abismalhados!

Não sei se vos disse, mas agora é suposto os patrões e chefes andarem de fita métrica a medir as cinturas dos seus vassalos para ver se estão grandes demais. E se estiverem terão que fazer dieta! Acham isto normal?
Eu pergunto-me, porém, se a saúde mental desta gente tem alguma importância para quem manda? Parece que não, porque estarem fechados em escritórios 12, 13, 14 horas por dia não faz mal a ninguém. Yeah, right!

Aqui há uns tempos a nossa chefe disse-nos que não podíamos usar chinelos no dedo para irmos para o trabalho. Tudo bem, até compreendo. Quando estamos no escritório! Mas quando estou na escola, deixo os meus sapatos à porta e ninguém sequer os vê! Por isso, que importa o que trago nos presuntos?! Alguém me diz!?
Para esta gente, vida pessoal e profissional é uma só. E não conseguem ver a diferença. Há professores que não vão a determinadas lojas porque não seria bem visto. Há uns tempos foi-nos dito que os professores não deveriam ser vistos a comer gelado na rua e a andar porque isso não seria bem visto. Podem imaginar o que nos rimos com essa!

Basicamente é isto que precisava de esclarecer. Definitivamente é uma relação amor-ódio esta que tenho com o Oriente...

E deixo umas respostas breves a algumas pessoas:
Celeste, às vezes oiço essa do isto é o Japão. E eu só lhes digo mas eu não sou japonês.
Maria Manuela, obrigado pelo elogios. E se calhar ainda iam todos mesmo levar no rabinho. As histórias que oiço e as coisas que vejo... UI.
Rita Maria, pois tens bom gosto!
Célia, essa da sombra está demais! Acho que se lhes dissesse isso, ainda tinham uma coisinha má! Com os pruridos cá do burgo...
A..., essa é que é essa! Esta gente submete-se a tudo e mais alguma coisa. Get a life! E qual Okinawa qual quê? Quando muito é um fim de semana na Disney de Tokyo. A abarrotar!
Pinguim, de facto, os cães ladram e a caravana passa. E eu que adorei andar de camelo. (Para mim, caravana é de camelo.)

11 comentários:

Maldonado disse...

Tanto quanto sei, o modo de ser e de estar japonês assenta numa certa cultura da vergonha, ou seja, age-se a fim de se parecer bem...
Essa história de andarem excessivamente preocupados com a aparência e com a saúde revela um obsessivo culto da perfeição, o qual também existe no Ocidente, mas não está institucionalizado como aí...

Pulha Garcia disse...

Não estou necessariamente em desacordo com a preocupação do peso. Acho que deveria ser por cá introduzida (e contra mim falo) mas não sob a forma de um controlo do empregador.

Quanto à tua experiência pelo Oriente pois ... aproveita. A vida é uma casa com vários quartos. Outros quartos virão.

All the best

cris disse...

Hoje acordas-te com o cú virado prá Lua??!!??

Mas tens toda a razão meu querido...se eu em 15 dias houve coisas q m fartei (tipo os olhares de alto a baixo na rua, e a cara de nojo quando te sentas ao lado de alguém no metro) imagino isso multiplicado por 4 anos.

Força...

Beijinhos tugas

Cor do Sol disse...

Fita métrica? Tá bonito. lol.

pinguim disse...

Essa da fita métrica, não lembra ao diabo...

ArtByJoão disse...

Isto está lindo, sim senhor!

Tu atreve-te a vires para cá com esse tipo de comentários sobre carequinhas a despontar nos cumes da minha personalidade e levas-me logo um piparote!!! Que isto de faltar ao respeito ao pappy paga-se logo na hora!!!

LOLOLOL

Abraço

Ritinha disse...

Eu ja vi a tua barriguinha ao vivo e a cores, e so posso dizer que e fofinha... Como a minha! LOL!
Beijocas GORDAS!

Miguel F. Carvalho disse...

curioso como ao fim de tantos anos, os orientais ainda vejam os ocidentais como perfeitos extraterrestres... lol

Hydrargirum disse...

Uau...isso é que foi explodir a acumulação....realmente contaste coisas aí que me deixaram abazurdido...!!!!

Os Países vivem muito de famas...famas que depois não correspondem à realidade..que o diga eu que já vou no 2ndo...!

Tinha o Japão como um País super avant'garde, a destilar Manga por todos os poros...e depois com as realidades que contas, há umas palazitas grandotas na sociedade...!
Mas pronto é como tudo!!!...tudo tem lados!!!!

É importante é que saias daí com o melhor que toda essa experiência te deu....e realmente "baralho" para o tamanho da barriga...cada um tem a sua e mai'nada!!!!

Maria Manuela disse...

Oh pá já me estou a imaginar de fita métrica na mão: Vá mula, chega-te aqui!!!! Unnnn não serves, rua !!!

Isso é que era !!
:)

Vanessa disse...

Nem comento a da fita métrica...entendo que haja preocupações com a saúde dos empregados mas daí a andar a "policar" sem qualquer pudor com esse tipo de atitudes, é de 1 atroz falta de tacto, o que espanta num país e povo tão aparentemente cioso com o que os outros possam pensar...
Um pouco paradoxal, não?
P.S. I love you just the way you are :) chuaccccc.