domingo, janeiro 10, 2010

Momento cultural, com o alto patrocínio do Da Costa De Carvalho.

Esta manhã tive boleia do inefável Da Costa De Carvalho. Fomos os dois ao Museu da Ciência, ali perto do Princípe Real.

Giro, giro foi ver como vemos estas coisas da ciência de maneiras tão diversas...











Do meu ponto de vista, as exposições eram bem diversas. Havia coisas do século VI - desculpem, mas só o meu compincha de museu é que vai perceber esta - dinossauros e muita pedra. Muita mesmo.





Topem-me bem esta "rosa do deserto". Quando fomos à Tunísia era para ter trazido uma deste tamanho... Mas como já tinha levado dezassete quilos de bagagem, não tinha espaço. Foi só mesmo por causa disso que não trouxe uma deste tamanho, mas trouxe uma mais piriri.















Havia assim umas coisas maradas... Como ouro...





E prata. Que sempre pensei ser mais brilhante e que vinha em salvas...



Lá estava também o enxofre...



Se bem me lembro, daqui podíamos fazer um lápis. Ou mais. Grafite.







Esta era calcite. Que, segundo a minha pessoa, serve para fazer calças. Segundo o Da Costa de Carvalho é para fazer calçado.
A mim, ele não me convence.





Aqui está um pedacinho de cianite...







E a predra mais fashion da exposição toda... Sim, que o roxo continua super in!



Desta também tive medo, porque daqui podemos tirar o asbesto...





Um quartzo. Quase do tamanho do meu quartzo.



Desculpem lá esta última piadola, mas tinha que ser...



Nós vimos tudo a que tínhamos direito. Mas o nosso objectivo primeiro era esta exposição sobre a história da terra. Desde o big bang aos dias de hoje. Ou se preferirem, desde que Deus nosso senhor espremeu a borbulha até aos dias de hoje.













Acreditem ou não, esta é a primeira expressão de contacto sexual. Que estas células, já naquela altura, eram umas desavergonhadas!



A Terra do tempo de criança do Da Costa De Carvalho.





E uns animaizinhos muito giros. E algo diferentes do que estamos habituados.









A evolução da Terra e suas placas.













Um belos grelhados se faziam deste bicharoco...



O que me faz lembrar uma vez, quando fui ao aquário lá de Oita, e vi uns miúdos a olharem para um tanque com lulas a exclamarem: que delicioso!!!

Ao que eu cheguei, pá!

Bem, também havia para lá um modelito de uma das primeiras flores...







Chegámos à sala com coisas em formol e assim...



Incluíndo uma lampreia.



E uns bichinhos muito brancos, mesmo a precisarem de apanhar um solinho...











Um primo do fugu...



Uma das duas baleias na sala... Sendo a outra eu mesmo. Segundo o Engenheiro Da Costa De Carvalho...





Ele tem uma piada louca...









E ainda vimos a mezzanine do museu, outrora o museu em si.

















A verdade é que foi um belíssimo passeio logo de manhã. E foi muito interessante ver como muitos paizinhos por ali andavam com os seus filhos a mostrarem-lhes as maravilhas da ciência. Fossem eles os meus filhos, e mesmo estando no mesmo sítio, descobririam que pedras estão in e out e que animaizinhos pré-históricos dariam um bom prato ou uma boa peça para um canto de sala...

5 comentários:

ArtByJoão disse...

Humm...
Cumpre-me fazer uma pequena correcção...

O momento é dito científico...

Apesar de ter ficado chocado a saber que me estava a ser atribuída a tenra idade de 600 e tal anos, quando toda a gente sabe que eu tenho entre 510 e 525 milhões de anos!

Da Costa de Carvalho dixit

Individual(mente) disse...

O que eu me ri a ler isto... Calcite para fazer calças... O asbeto é bom para revestir os pulmões agora no inverno! lol
Essa de Deus espremer a borbulha está demais!!! :)
Andamos em grande!
Abraço

Girilim disse...

E que borbulha, Senhor! Que borbulha! :D

Vanessa disse...

Espectacular....adorava ir ver a exposição...fantástica mesmo!

divagacoesaoluar disse...

Vale a pena ir ver pelas pedras!! Faço colecção mas obviamente de tamanho bastante inferior :D