terça-feira, outubro 27, 2009

Maravilhas portuguesas

Vinha na camioneta para casa. Assim quentinha e aconchegadinha.
Havia uma criança a chorar e um outro bebé, no lado oposto. Passados uns minutos reparo que a mãe está a tentar entreter o bebé. Não resulta. Daí a mais um minutos vejo que ela lhe está a dar de mamar. Visivelmente envergonhada. E eu a pensar é das coisas mais lindas que se pode fazer. Deixa lá isso, pá!

Querem melhor coisa que os transportes públicos?!

2 comentários:

pinguim disse...

Não pode haver qualquer vergonha no acto de uma mulher descobrir um seio, para alimentar um filho; e se há alguém que olhe para esse acto de uma outra forma, decerto é um pervertido.

Sofia Feliz disse...

Epá, eu como mulher, que já amamentei, também não me sentia à vontade com essa história da mama de fora... e como é mais importante alimentar o filho, vai daí que uma fraldita de pano resolve a situação, mantendo afastados os olhares mais pervertidos...

É que, mesmo sendo mulher, tb me sinto constrangida quando vejo outra mulher sem qualquer pudor com a mama de fora.

Será que Freud explica isto? Será alguma falha...só mamei 4 meses :S?!

:D