terça-feira, outubro 06, 2009

Da Amália


Não quero caír em lugares comuns, que já o faço sobejamente. Mas passam hoje dez anos que ela deixou o público que a adorava e a quem ela tanto dava.
Lembro-me de ficar abismado aquando do funeral dela! Uma coisa que Portugal nunca tinha visto e que, quer-me parecer, nao voltará a ver! Aqueles milhares de pessoas todos a carpir, como se tivessem perdido alguém da sua própria família. E eu, então, arrepiado. Como ainda hoje.


Tenho estado em casa o dia todo e as televisões passam Amália constantemente. Talvez para que todos nós nos possamos redimir do maus tratos que lhe infligimos... Enfim...


A verdade é que, ouvindo-a falar, sinto que terá sido uma mulher grande, despachada, que não se deixava levar e, sobretudo, e ao contrário do que dizia, muito inteligente. Bem do tipo de mulher, ou melhor, de pessoa que gosto.


E já nem falo da sua arte de cantar que essa, quer se goste de fado ou não, não precisa de um certificado meu! Cantava com uma belíssima voz, mas sobretudo com um sentimento profundo. E em plena comunhão com os demais, de pessoas simples que me parece ter sido.


Hoje ouvi-a falar e a contar histórias de uma forma tão descontraída, tão divertida. Ora aí está mais uma coisa que aprecio. Até porque, para mim, olhar para uma pessoa na televisão e admirá-la não é só quando canta e dança. É outra coisa.


Agora vou continuar aqui a deliciar-me com ela e não vos maço mais. Está a cantar Gaivota. E eu com os arrepios. Estes anos todos depois!


7 comentários:

Celeste disse...

Não sei se todos temos Amália na voz, mas ela era com certeza a voz de todos nós.

Hannah disse...

Amália estará para sempre no meu coração...

Bjinhos Migo

pinguim disse...

Gosto muito da última foto que puseste; contraria o espírito triste do fado...
Abraço.

Anónimo disse...

Belas fotos...belo texto... Ontem também vi um pouco de tv e a voz dela consegue sempre por-me de lágrima no olho, mas também com um sorriso enorme que vem de dentro, cheio de felicidade! Enfim...
Beijinho
Inês

Daniel Silva (Lobinho) disse...

sabes o que sempre dizia (digo) nao sabes? Que sou muito Amália, no sentido de povo, de simples.

Mas ha um fado dela que me cativa particularmente "Povo Que Lavas no Rio" com um crescendo emotivo.

Como vês pelo blog postei um abraço e nao te o dediquei a ti. Apenas porque está sempre dado mas sobretudo porque sei que nao ligas aos desafios da web (pelo menos assim o dizias quando cá cheguei, dado que ja tinhas passado essa fase) e por isso omiti-te porque lá vinha um desfio num blog onde te expões de forma muito peculiar e que, desde sempre, acompanho :)

Aquele abraço...:)

Cristiano Contreiras disse...

Blog conceitual, de extremo bom gosto, parabéns pela proposta! irei te linkar e seguirei aqui

abs

Pulha Garcia disse...

Não sou apreciador de Amália enquanto artista e menos ainda enquanto fadista. Mas gosto da imagem dela e sobretudo do que ela significava. Adoro o facto de ter falhas e defeitos, como todos nós...