segunda-feira, janeiro 26, 2009

Desastres naturais

Toda a gente sabe que o Japão ora tem terramotos, ora tufões, ora tsunamis. Mas, para mim, um dos problemas mais graves desta terra é o problema da gente mal vestida...


É pá... É que é a toda a hora... E não há nada que um gajo possa fazer para combater esta pandemia!

Mas, vá lá, não é uma menina ranhosinha, porque está a fumar na rua, mas na zona destinada a tal, porque na rua central cá do burgo não se pode fumar em qualquer lado. Mas pode fumar-se em qualquer restaurante, nem que o sítio esteja cheio de criancinhas com os pulmões limpinhos limpinhos.
Digam-me lá se isto faz algum sentido!?

E digam-me também se alguém, mentalmente são, anda de mini-saia quando estamos em pleno inverno e está um frio do caraças?!

5 comentários:

NanBanJin disse...

Oh Ângelo, isso do vestir mal, parece-me a mim, é mal geral, não é fenómeno "especialmente" nipónico - pense-se na gente inglesa que vai pró Reino dos Algarves, no Verão, de meia branca debaixo da sandália - sim, sim, não é espécie em vias de extinção, o "britanicus horripilentis" está vivo e de saúde -, ou pior ainda, lembremo-nos dos novos ricos russos ou chineses que fazem, hoje em dia, questão de se pavonear em grandes grupos excursionistas pelos principais destinos turísticos da Europa e aí sim, temos gente FOLEIRA A SÉRIO.

Quanto ao cigarrinho a entrar por tudo o que é restaurante e kissaten adentro, pessoalmente já não me faz grande espécie (a princípio fazia, confesso) - é que a lógica da regra aqui é maravilhosamente simples (tanto quanto já pude compreender por intermédio de terceiros): via pública é ESPAÇO PÚBLICO e é portanto de todos e para todos, quer gostemos de andar lá ou não - eu tenho de ir de A para B e tenho que passar por C quer queira quer não queira, simples -, portanto ESPAÇO PÚBLICO = RESPONSABILIDADE PÚBLICA(que equivale a responsabilidade pela SAÚDE PÚBLICA).
Já RESTAURANTE/IZAKAIA/KISSATEN = PROPRIEDADE PRIVADA - quem manda lá dentro é o proprietário, e se os clientes gostam de puxar pelo cigarrinho, é problema dele e deles, ou seja, quem não gosta da fumarada que vá para outro lado, tipo STARBUCKS onde não se fuma lá dentro e ponto final (pela menos aqui em Hakata é assim), e tanto quanto já pude perceber, apesar de tudo, há regras relativamente restritivas à admissão do tabaco dentro de estabelecimentos de restaução em geral.
E depois claro está, há as situações de "irresponsabilidade privada" pura e dura como a que eu vi no outro dia aqui: num café em Hakata, zonas de fumadores e de não fumadores perfeitamente separadas, com vidro, exaustores de fumo, tudo perfeito; chega o paizinho com 2 criancinhas pela mão (teriam entre 6 e 9 anos de idade), mas, não obstante as circunstâncias, não há que se privar de nada : agarra nos putos e leva-os para zona de fumadores que lhe tá apetecer taaaaanto um cigarrinho. Os fedelhos que se aguentem.

Paula disse...

Deixa lá moço, que por aqui, também se vêm desastres naturais destes!!! E botinhas brancas com chuva e lama...
Credo...
:)
Bjs!

Anónimo disse...

Ui…e pensas tu que isso só acontece por essa terra?? Nada disso meu amigo! :P
E quanto à história da mini-saia, a ultima vez que estive em Londres estava um frio de rachar, tinha inclusive nevado, e estava um menina que não só vestia manga curta como tinha uma mini-saia de uma altura tal, que se caísse dela abaixo morria!!!
Beijooooooooooooo
Inês

Vanessa disse...

Como diria um grande amigo meu..."C'est pas normal"...
Beijossss milll.

Hannah disse...

Não é só aí migo...

Jokinhas e boa semana ;D