segunda-feira, janeiro 19, 2009

Desafios

Confesso que não sou grande adepto destas coisas e isso vê-se pelo número de desafios que cumpri aqui... Uns dois, ou coisa parecida. Por isso, e desde já, ninguém fica obrigado a fazer seja o que for!

O primeiro veio do Kapital Kaos. E depois também a Célia me mandou um desafio semelhante. Embora não sejam exactamente iguais, são muito semelhantes, pelo que vou juntar ambos e deixar aqui os meus oito desejos. Seja para este ano - o que seria óptimo, mas talvez emoção a mais em tão pouco tempo - ou para um futuro mais ou menos próximo.
E não esperem que vá pedir a salvação do mundo, que os meus desejos são bem mais prosaicos que isso. E talvez um pouco egoístas.

- Amor
Sim, este é logo o primeiro. Não porque me sinta uma qualquer miss a tentar chegar à final, mas porque o quero. E quero-o a rodos e de todas as maneiras. Não o quero só para mim, mas também para os outros, entre os outros e para com os outros.
Anseio por encontrar alguém com quem partilhar a minha vida - toma lá, que nunca falei disto e já devem haver uns quantos olhos todos esbugalhados! E, já agora, as candidaturas estão já abertas.
Mas quero continuar a partilhar o amor incondicional - ou pelo menos percebo-o assim - que os meus amigos me dão e sem o qual não consigo viver.
E, last but not the least, quero continuar a poder usufruir do amor lá de casa. Daquele que não precisa de palavras nem actos. O da melhor espécie, convém acrescentar!

- Satisfação profissional
E este é um grande problema para mim. Porque não sei bem o que quero mesmo fazer. O que é bom, porque me deixa muitas portas entre-abertas, mas também é mau porque ando uma beca perdido.
Gostaria de encontrar um trabalho, ou melhor, emprego, que estou mal habituado, que me preencha, que me estimule, que me pague bem e me ponha em contacto com pessoas fantásticas.
Mas como as coisas estão - porra, deve haver uma velha bem chata dentro de mim! - a coisa vai ser complicada. Mas um desejo é um desejo, não é?

- Plenitude física e psicológica
Não me apetecia escrever o chavão "saúde", que ia dar ao mesmo.
Mas sem uma saúde como deve ser, de nada serve desejar as outras coisas, não é? Embora as palavras que escolhi não se resumam somente à "saúde", mas também ao estar bem comigo mesmo, como tenho estado e como a minha última viagem aos antípodas veio reafirmar. E desejo-o para os demais, porque acredito piamente que ninguém pode estar bem com os outros senão estiver bem e confiante em si mesmo. Pode ser uma chachada, mas o desejo é meu e eu é que sei.
Já agora, se emagrecesse um pouco também ia ficar contente. Mas estou confiante na previsão da minha mãe, que diz que começarei a emagrecer assim que aterrar em Lisboa. E a julgar pelo passeio down under, a coisa deve estar mesmo para acontecer.

- Amigos
Já falei deles aqui, mas quero conhecer ainda mais gente. Da boa, que de gente maluca já estou cansado. Afinal, são já quase quatro anos de Japão! Que mauzinho que sou!
Mas quero saber que posso continuar a contar com os amigos que deixei em Portugal quando peguei na minha mala de cartão e quero acreditar que os amigos que fiz neste lado do mundo não me esquecerão. Até porque eu, com toda a certeza, não os esquecerei. Quer-se dizer... Dos nomes não prometo!

- O mundo
Não pensem que me estou a armar em garganeiro, mas desejo o mundo. Sabem, desde que aqui estou, apercebi-me de que o mundo é muito pequeno. E que é possível conhecê-lo e descobri-lo e ficar maravilhado com isso.
Por isso, desejo que toda a gente tenha oportunidade de conhecer mais do mundo. Seja porque se metem num avião, carro ou carroça e partem à descoberta, seja porque, de alguma forma, o mundo sempre chega até nós.

- A minha bela casinha
Embora não ande a dar com a cabeça nas paredes por causa disto, espero poder ter um espaço meu. Não que o papá e a mamã se importem que fique por lá o tempo que for preciso - muito pelo contrário - mas estando aqui no meu próprio espaço, tendo as minhas manias e rotinas, como qualquer outra pessoa, gostaria de ter um espaço meu.
E, para não parecer completamente egoísta, é uma coisa que desejo a todos aqueles que não têm um tecto. E não pensem que digo isto só porque sim, que, aqui, não preciso de agradar a ninguém. Mas é uma coisa que me deixa cabisbaixo saber que há gente que não tem onde ficar ou que comer...

- Não me arrepender de regressar
Raramente me arrependo do que faço. Até porque normalmente me esqueço do que fiz. Mas espero não me arrepender de regressar a Portugal. E, não sei porquê, sinto que isso não acontecerá, porque preciso de voltar.
Mas espero, também, sentir que aproveitei o meu tempo aqui. Apesar dos altos e (muitos) baixos, sinto que não, embora pudesse, talvez, ter dado mais atenção à língua deste lado do mundo....

- Paciência
Para esperar que os meus desejos se realizem; para aturar os ranhosos com que me cruzarei; para ir tratar de alguma documentação que precisa de ser alterada quando chegar; para encontrar um emprego decente; para aturar as desavenças que vão sempre havendo; para continuar o blog (embora me dê um prazer imenso, mas às vezes é precisa muita paciência!); para pegar nas minhas tralhas e mandá-las para casa; para esperar pelo regresso do Changing Rooms, Little Britain e Ab Fab; para não me zangar comigo mesmo quando me lembrar de qu me esqueci de escrever algo absolutamente fantástico aqui.

Agora só espero que tenha feito isto como deve ser, que não quero que me caia um dentinho ou se me parta uma unha!

8 comentários:

Sair das Palavras disse...

Ângelo MIguel (que já voltaste a Portugal na versão bairro em Oita):

duas coisas ou três:

- que te revelas o ser humano magnífico que és quando queres;

- que os teus lídimos desejos são igualmente perfilhados por tanta gente;

- que eu mesmo os subscrevo quase na totalidade.

Feliz Ano 2009

Pipe

Miguel F. Carvalho disse...

Little Britain é muito bom!!

pensadora disse...

Olá A.

Uma lista de desejos e tanto!
Como te dizia há alguns comentários atrás, já te leio há algum tempo, e acho que nunca te tinha lido tão realista!
Quase assusta!
Mas compreendo o sentimento.
Também já vivi fora, embora durante menos tempo e menos longe... se eu me senti estranha na altura nem imagino como tu te deves estar a sentir ...

Acho que pelo menos numa das coisas me posso oferecer para te ajudar - dizes que gostavas de conhecer pessoas novas - eu sou uma "pessoa nova" e gostava de te conhecer, pareces ser alguém que vale a pena conhecer! Quando estiveres em Lisboa podemos pensar nisso, ou não ...

bjs

Célia Novais Rosado disse...

Tenho de obrigar a Ana Maria de Alverca e Arredores a marcar um café contigo assim que voltares para terras Tugas e eu também! eheheh

Não te conheço de lado nenhum, mas gosto de ti, parece que te conheço à anos e anos!

Beijinhos.

NanBanJin disse...

Caríssimo Angelo, calorosas saudações luso-galaico-dorienses, de quem ficou por Fukuoka aí mesmo ao lado de Oita, e tem saudades de comer um bacaulhauzinho à lagareiro.
Só agora me dei conta da existência deste teu blogue - eu sou novo nestas andanças da blogoesfera, confesso -, e prometo ir dando uma espreitadela.

Um Abraço e Sinceros Votos de um Feliz 2009 - ou Heisei 21, como mais aprouver.

Luis Filipe Afonso, o NanBanJin

Celeste disse...

Quando aparece:

value="http://www.youtube.com/v/LK0CJqMK6f0&hl=en&fs&autoplay=1"
acrescentas &autoplay=1

:)

Beiji***

(cansados e com saudades de ter mais tempo e disponibilidade p visitar tasquinho giros cm o teu!)

Nuno-san disse...

Arrependeres-te de voltar, não sei.. lá terás as tuas razões...

Agora que vais ter algumas (muitas) decepções com certeza terás... sobretudo agora, que és um verdadeiro cidadão do mundo, ver como Portugal (incluindo mentalidade, genericamente falando) é tão pequenino.

Lá voltarei, mas se tudo correr bem só para a reforma ;-)

Vanessa disse...

Que sentes precisar de partilhar a tua vida com alguém não é propriamente novidade, todos precisamos, claro que há fases em que precisamos mais e outras menos, quanto à saúde creio que quanto mais vamos amadurecendo mais lhe damos valor. Amigos..sabes que os tens sempre, aqui, à tua espera e em qualquerparte do mundo. Paciência...precisarás e muita quando regressares...e arrependeres? nunca te arrependes de nada...não creio que te vás arrepender...até porque se o teu coração te puxa para aqui por alguma coisa deve ser, certo? Provavelmente está na hora certa.
Feliz 2009 com tudo a que tens direito, não mereces menos que tudo.