sexta-feira, julho 24, 2009

A Shauna já bazou

Capítulo I - Foi tudo dizer-lhe adeus

Ontem foi o último dia da Shauna em terras japonesas. Estava para lá de farta disto, pelo que posso só imaginar a alegria que leva consigo no avião.
Quando saímos da nossa conferência, fomos até casa dela, logo ali ao lado. Não para a ajudar a arrumar coisas - e bem que precisava - mas para nos despedirmos.














Houve um grande contratempo antes de se ir embora - a pessoa que iria ficar com a casa dela desistiu dessa ideia - e a inútil da nossa chefe também não ajudou muito. Mas a Shauna, mulher despachada que é, meteu-se pela calle afora e resolveu o problema.
No final do dia estava já despachada, linda e maravilhosa e pronta para bazar.


Dei-lhe um beijo e disse-lhe bye, man. Bem à jamaicano.


Capítulo II - Ela tem problemas

Hoje, aí pelas cinco da manhã, levantei-me para fazer um xixizinho, que a minha prosca já não é o que era... E dei com várias mensagens da Shauna... Mas uma delas dizia que ela ainda estava em Oita. Quando o seu comboio para Fukuoka era às 3.53 porque o avião era às 7.
Eu, apesar de serem cinco da manhã, liguei-lhe e ela disse-me que perdera o comboio. Chegou a vê-lo e tudo, mas perdeu-o. O que significou perder o primeiro de três aviões...
Levantei-me pela segunda vez para vir ao computador e encontrar um número da JAL para ela poder resolver o imbróglio.
Resumindo e concluíndo, arranjou viagem para Tokyo, de Tokyo para New York e daí para a Jamaica. Tal como o percurso original, mas tudo em companhias diferentes e horários diferentes.

Pena tive de não ter atendido a última chamada que me fez depois das três da tarde. Vou ter saudades dela e vai fazer-me muita falta nesta minha última semana japonesa. É que falamos muito, aconselhamo-nos muito, rimos até mais não e grito imenso com ela... Agora como é que vai ser!?

1 comentário:

Maldonado disse...

A tua amiga, pelo que contavas, devia ser uma pessoa muito interessante.