sábado, abril 19, 2008

A minha avo Ivone


Comprei uma agenda nova e ja nao vou poder la por o seu nome, a sua morada. Ja nao lhe vou poder enviar um postal de um sitio qualquer onde vou. E ela ja nao vai poder pedir desculpa por nao me responder porque ja nao tem paciencia para escrever.

Morreu ontem a noite. A minha mae ligou-me ha umas horas a dar a noticia.


Estou triste, claro. Ela sempre esteve presente na minha vida. Para sempre me lembrarei da alegria que sentia cada vez que ela nos ia visitar com uma caixa de suspiros la da Faruque. Sempre gostei dos brancos com canela. E ela sabia disso.
Nunca me esquecerei de ir la a casa dela e comer uma salada com uma erva qualquer que me enchia o palato.
Nao me esquecerei dos animais que ela tinha, os patos, os coelhos (sempre um castigo para os comer). Tantos pasaros. Do quintal gigantesco.
Nao me esquecerei dos beijos todos que ela me dava, em catadupa, cada vez que me via. Nao me esquecerei de me chamar de "filho".
Nao me esquecerei das vezes que dizia asneiras e depois dizia, "ai, filho, nao oicas a avo, mas ela e mesmo assim!".
Nao me esquecerei do seu farto cabelo, que recuperou mesmo depois dos tratamentos.
Nao me esquecerei de ter sempre dois pares de oculos, um para ler, outro para ver ao longe e o jornal em cima da mesa.
Nao me esquecerei das coisas que ela me dava. Podia ser uma caneta, podia ser um mapa, podia ser dinheiro. Sempre partilhava. E ficava feliz quando lhe davamos uma coisa qualquer.
Nao me esquecerei de fazer os meus mapas , a caneta, em cima da velha mesa da sala de jantar, com o armario por tras, cheio de copos. E outro na sala, cheio de coisas dos bombeiros.
Nunca mais me esquecerei de a ver, no hospital, pelo skype. Ja fragil, mas sempre sem se queixar. Nunca se queixou, mesmo quando a viamos cheia de dores porque os joelhos a atormentavam e as pernas arqueavam. Nunca se queixou porque ia parar ao hospital com crises de qualquer coisa que eu nunca entendi.


Avo, e verdade que nao nos viamos todos os dias. E verdade que nem a tratava por "tu". Mas te-la tido na minha vida so me enriqueceu e eu agradeco-lhe por isso.
Nao estarei consigo no momento em que descer a terra, mas isso nao importa. Sempre a tratei bem enquanto viva e sei que isso e o mais importante para si.


Estava cheia de dores, dizem os meus pais. Sem se queixar. Como sempre. Teimosa como era, nem nisso mudou. Nao importa. Eu gosto dela assim.

26 comentários:

Miguel F. Carvalho disse...

um abraço.

Hydrargirum disse...

Oh Angelo, fiquei tao triste com a noticia:(Vim a correr assim que li o teu mail.

O meu maior abraco de animo e amizade para ti!

E se me dizes que ela estava cheia de dores, devia estar a sofrer horrores. Vamos pensar que agora esta em paz e que nao sofre.

Um grande abraco em ti!!!

Anjo Sem Sombra disse...

Força amigo...

Um abraço forte!

Anónimo disse...

Ângelo,

Um abraço apertado para ti!

Sei q estás longe mas neste momentos não há distâncias...

Fizeste uma dedicatória linda à tua Avó. Neste momento, tenho a certeza de que estará orgulhosa do seu neto, a quem carinhosamente chamava de "filho"!

Beijinhos da amiga,
AMGarimpo

Alvaro Magalhaes disse...

Caro Angelo,
Nao tive o prazer de te conhecer pessoalmente, e poucas vezes me falaram de ti, mas sempre como um bom amigo que me és descrito. Nao tenho opiniao sobre ti pelos motivos acima mencionados.
Após ter lido as tuas palavras, vanglorio a tua coragem e apercebo me que és uma pessoa com um coração do tamanho deste mundo e do outro como se costuma dizer. Acho impressionante a maneira humilde, alegre e feliz com descreves te o post, arrisco me a dizer... nao, digo mesmo , que as milhas que estas de distancia, sem te conhecer a ti e à para tu saudosa AVÓ, acredita que senti a tua dor.
Dou te um abraço de quem percebeu o teu sentimento , e digo te para olhares para a frente, já que se pode ver que tens orgulho no passado.

Abraço , Alvaro Magalhaes

Sónia disse...

Amigo de infancia!

Um abraço mto apertado!!!
Custa mto perder alguem... E os avos sao sempre um marco p nós, pelo menos falo por mim! e ja n tenho nenhum... o texto esta espectacular! e acho q é assim q deves relembrar a tua avo. ate me fizeste chorar...
um bj mto grande e força! p ti e p os teus pais.

Sónia

João Carvalho disse...

...

Um grande abraço pois ao contrário de ti, não tenho jeito para as palavras nestes momentos...

com amizade, Da Costa De Carvalho

Daniel Cândido da Silva disse...

Sabes que passei pelo mesmo com uma senhora que era tudo. Costumava dizer que acima de Deus só havia a minha Mãe.

Estive contigo nos momentos dolorosos do teu avô, mas deixa-me dizer-te que a tua vitalidade na tristeza, lembrando as coisas boas e uma frase final para ela, fazem a melhor homenagem.

Não te digo coragem nem fico no silêncio. Guardamos o melhor. Certo é que se avó morrido não tivesse, mais feliz estarias, mas feita de sofrimento e alegrias, a vida é... (Me talking, a la Yoda ;)

Aquele abraço

Pipinho

Carolina disse...

Oh my Angelo !!!
I'm so sorry to hear this news !
I am sure she was happy to have you as great son !
:'-)

Ana Maria disse...

Quando li o mail,tive um baque e soube logo. Sabes , é a idade. Mas continuo a nunca saber o que dizer quando alguem querido sofre estas perdas. Quando for avó quero um neto assim como tu. A tua avó está a descansar desta vida, em paz. Um abraço apertado, mts
beijinhos
Ana Maria

Anónimo disse...

Oh, sinto muito, Angelo, que tristeza.
Bonita memoria da tua avo', bela e afectuosa homenagem. Fiquei a gostar dela, mesmo sem a conhecer.
Coragem e um abraco,
Orlanda

Anónimo disse...

Quem parte deixa sempre um buraco que apenas é superficialmente tapado pela memória das imagens que nos ficam. De quem era, do que pensávamos, dos bons momentos, do que partilhámos, e depois fica sempre aquela sombra que vemos de vez em quando nos lugares comuns por onde passamos.
As pessoas são mesmo assim, enchem-nos a alma com a sua presença até que se ausentam mas mesmo assim permanecem.
esta é, Angelo, uma hora de agri-doce amargura para ti que estás ausente.
Um abraço dos amigos
Luís & Rui

Aline Lima disse...

Não lidei muito com a mor te até hoje, por isso não sei muito bem o qu e lhe dizer. Mas ainda resta o conforto de saber que ela foi desta pra uma melhor...
Abraço

Pedro Marcelino disse...

que te posso dizer... mesmo a distancia de um continente, envelhecemos juntos. um abraco apertado do teu amigo
Pedro M.

disse...

Um grande abraço e força amigo.
O ceu ganhou mais uma estrela.

Ze Kali

Paracletus disse...

Lamento muito o falecimento da tua avó. As minhas sentidas condolências.
Um grande abraço e votos de coragem para ti e para a tua família.

Xanoxa disse...

Amigo, de algum lado te virá a garra, a teimosia... e se algo deverá ficar para sempre é o exemplo de vida!
Não fiques por estares longe.. porque como disse o Ze, as estrelas do céu olham para nós onde quer que estejamos.
Mil beijos

heather disse...

aw... angelo, i can't read the portuguese, but i gather from the images of your grandmother... that she has passed away. i know she knew that you loved her dearly, and i remember you often calling her- talking on your phone- the walls were thin, i could hear you next door! we knew you were calling home to your family in your mother-tongue... and we knew that even though you were far from your family, you kept very close!!

Inês Pato disse...

Oi amigo, vejo sempre os teus mail e sei que às vezes não respondo, mas a este não poderia ficar indiferente. Infelizmente, também sei o que é perder alguém que dá só pelo prazer de dar e de quem sinto falta de abraçar e de dar beijos muito repenicados!Fica com todas essas lembranças e as outras que só tu e ela partilharam! É a única forma de os termos sempre perto de nós! Jocas com muita força e carinho da amiga Inês.

Maria Manuela disse...

Um enorme beijo de carinho e um abraço de coragem...


Faruque ??? A Faruque de Odivelas ??? Nãããã~... era coincidência a mais....

Beijos

Rosarinho disse...

A opinião é unanime, fizeste uma bonita homenagem aqui à tua avó, e passamos todos a adorá-la.
UM grande abraço..porque até os amogos "virtuais" servem para estas coisas. Aproveita a Golden Week para desanuviar, estás mesmo em necessidade.

Esperamos novidades tuas..e agora das boas :)

Maria Manuela disse...

Oh meu Deus ...o mundo é mesmo pequeno....

Eu frequento regularmente a Faruque, não só pela marmelada e pelo bolo rei que são famosos, como por toda a pastelaria que é francamente boa.... e frequento tão regularmente que ía jurar já ter visto a tua avó... Ela vivia em Odivelas, certo ?

Beijos

Paulo disse...

Amigo, desculpa só agora da notícias.

Lamento, muito Ângelo, mais esta perda. E só repito: nunca nos habituaremos às perdas! Além disso, as pessoas importantes nunca se esquecerão!
Um abração

Carla Reis disse...

Amigo,
Li agora a notícia apesar de já ir um pouco atrasada quero que saibas que podes contar comigo para tudo. Até mesmo para chorar por ti ,pois foi isto que fiz depois de ler o doce post sobre a tua vó. Fizeste-me lembrar os meus avós já falecidos. à medida que lia até os cheiros e os sons me vinham à memória. Acho que esta é a melhor maneira de os manter vivos: na nossa memória mas principalmente no nosso coração.

Beijos do tamanho do mundo

Celeste disse...

Um abraço para ti, Angelo. As pessoas que amamos, nunca desaparecem...

Kapitão Kaus disse...

Ângelo,
Um grande e sentido abraço!