segunda-feira, abril 21, 2008

Decisao - Decision

Todos nos temos momentos nas nossas vidas em que nos deparamos com decisoes que tem que ser tomadas e que podem mudar a nossa vida. Ir ou nao para a universidade? Que curso escolher? Ficar num pais ou pegar na mala de cartao e abalar? Ou regressar de um sitio distante porque ja nada faz sentido?

Este fim de semana muita coisa aconteceu na minha vida. Nao interessam os pormenores. Mas ha ja algum tempo que andava a pensar no que fazer da minha vida. Afinal, tenho quase 30 anos. Ok, sou novo e tal, mas toda a gente sabe que na pratica nao e bem assim. Posso estar aqui, com o meu contrato actual, ate 2010. Mas sera que posso estar com a minha vida a prazo ate la? Nao me parece que nao.
Ja assinei o contrato para um novo ano, pelo que ficarei aqui ate 2009. Depois acho que vou pegar nos meus biblots e vou para outro lado.
Para onde, nao sei bem. Mas acho que a minha primeira paragem sera Lisboa, esse sitio lindo de que tenho saudades. Mesmo quando morava la mesmo ao lado, tinha saudades.

O Japao e um sitio fascinante. Nem sempre bom, como quem me segue aqui sabe. As vezes parece que estou a dar em louco, metido nesta redoma de vidro que e este pais.
Estar numa cultura completamente diferente, tao centrada em si mesma, pode ser muito complicado. E eu preciso de algo mais.
Nao pensem que estarei a agonizar ate o final do meu contrato. Quem me conhece, sabe bem que eu nao sou assim, porque tiro sempre partido de todas as situacoes.

Nao posso terminar sem agradecer aos meus pais. Esses pais fantasticos que tenho que se nao me deram um carro ou uma casa, e porque nao puderam. Mas dao-me constantemente uma coisa muito mais importante que e o seu apoio incondicional em todas em decisoes que tomo. Assim foi quando lhes disse que vinha e assim foi - apesar das reticencias pela situacao dificil na Lusitania - quando lhes disse que estou a pensar voltar.
E isto ninguem paga, ate porque muita gente na mesma situacao que eu nao tem esse apoio incondicional tao importante.

Obviamente que tudo pode mudar, e um facto, que eu nao sou nenhum fundamentalista. Mas isto e o que penso agora acerca do meu futuro...
E, amigos, estejam ai para mim que eu vou precisar de um emprego quando voltar!


We all come face to face with decisions that have to be made and that can change our lives. Going to university or not? What major to choose? Staying somewhere or just getting your nice suitcase and hit the road anywhere? Or going back from a distant place, because things make sense no more?

Many things happened in my life this weekend. Details are of no importance. But for a while now I have been thinking of what to do with my life. After all, I am almost 30. Ok, still young and all, but we all know that real life is not like that. I can stay here till 2010, under my present contract. But can I put my life on hold till then? I don't really think so.
I've signed a new contract, so I will stay here till 2009. But when time comes, I will grab my stuff and go somewhere else.
Where? I don't really know. But I think my first stop will be Lisbon, that amazing place that I dearly miss. Even when I was living just next door, I missed it.

Japan is a fascinating place. Not always great, as everyone who reads me knows. Sometimes I feel like I'm going crazy in the bubble this country is.
Being surrounded by such a different culture, so self-centered, can be very complicated. And I need something more.
Don't think that I will be suffering till the end of my contract. The ones who know me personally know that I am not at all like that. I always look for the good side of every situation.

I can't end this without thanking my parents. My amazing parents who, if they didn't give me a car or a house, it was because they couldn't afford it. But they always give me something much more important than that: an unconditional support in any decision I make. It happened that way when I told them I was coming here and it happened again - despite the hard times in Portugal - when I told them I'm considering going back soon.
And this is the most important thing ever, as many people in the same situation as me don't have this unconditional support I enjoy.

Of course that all this can change, I'm no fundamentalist. But this is what I now think about my future...
And, friends, be there for me. I will need a job when I leave Japan!

PS - This is not a good-bye, of course. Just me speaking up my mind!

5 comentários:

Paulo disse...

As decisões nunca são fáceis, rapaz. Nunca. Portanto, continua a aproveitar as situações que te surgem e sê feliz, aí ou por aqui. Claro que estamos por aqui!

heather disse...

yeah, ronan and i kinda regretted coming back to ireland now, with the economy so bad... so hard to find a job, etc... we were sitting pretty in japan. at least you got to stay a bit longer, and save some money.

but in the end, maybe you're like us, itching to make a 'real' home, and to stop feeling so transient. good luck to ya!

Celeste disse...

O que tu disseste, de te apoiarem sempre, é MUITO importante.

Olha, se resolver mesmo vir, qualquer coisa se há-de arranjar. Serás bem-regressado! ;)

Beiji**

Celeste disse...

O que tu disseste, de te apoiarem sempre, é MUITO importante.

Olha, se resolver mesmo vir, qualquer coisa se há-de arranjar. Serás bem-regressado! ;)

Beiji**

Mari disse...

Meu amigo, meu querido, meu amor, depois do que já falámos, e depois de ler tudo aqui, só te posso dizer, de olhos rasos de água (mas isso tu já sabias), que não importa o que decidas fazer, o que faças realmente, o que sintas, tem uma só certeza: os teus amigos não te vão abandonar NUNCA!..Não vou mencionar nomes, porque tu, melhor que ninguém, sabes quem eles são. E desculpa, se por vezes a distância física fez parecer que estava de alguma maneira ausente da tua vida, ou se me preocupava de menos contigo. Espero que saibas que estive, estou, e estarei sempre de braços, de olhos e de ouvidos abertos para tudo o que tu precisares!!!
Não te deixes abater pelos embates da vida, pensa que ela é mesmo assim, e o que não nos detrói, torna-nos mais fortes...
Beijos do tamanho do mundo da sempre tua MARI!