domingo, abril 27, 2008

A caminho da China

Dormi mal. Nao que estivesse nervoso, muito pelo contrario. Alias, vim a saber que a Elecia tambem acordara a horas esquisitas... A mim calhou-me 4.55...
Dormi mais, levantei-me, tomei o meu pequeno almoco do costume, lavei-me por baixo (por cima e pelos lados tambem), pus-me belo e la fui eu, com a minha mala da cartao, ate a paragem do autocarro. Sim, que para se sair de Oita e sempre um castigo!
Eu entrei logo no inicio da carreira, que e mesmo ali, perto de casa. E a Elecia entrou a seguir.


Nao nos calamos a viagem toda. Mas literalemente toda. Ja o resto do autocarro, como de costume, estava morto. Embora estivesse cheio. Estranho, nao e?

Em Fukuoka encontramos o Scott, que havia estado a passear por Osaka com a mamae e a mana. G'anda maluco, dar duas de seguida! Essa e que e essa!
Almocamos num restaurante italiano, a mesmo em frente a estacao de comboios de Hakata, ao lado da estacao de autocarros, nao sei se estao a ver. Nao havia pizza, que essa era so depois das 13.30 e ainda nem uma da tarde era. Coisa esquisita, digo eu. Mas a musica era do melhor: Sade!




Comemos e metemo-nos a caminho do aeroporto de Fukuoka que esta tao perto do centro como o de Lisboa. A diferenca e que o metro leva-nos la e em Lisboa temos que estar a espera da carreira... Gente pobre!

La estavamos nos a espera do nosso aviaozinho no aeroporto. Entramos la para dentro e ate fiquei espantado. Parecia novinho em folha, mas tinha ja 3 anos, disse-me a aeromoca (palavra bonita, esta!).

A viagem correu bem, sem sobressaltos. Ate dormitei um bocado todo esticado por sobre tres lugares, que o aviao estava longe de cheio.
Chegamos a Shanghai e o Scott so estranhava o facto de a seguranca nao ser uma coisa brutal e demorada como la na terra dele, os Estados Unidos. E nos sempre a dizer-lhe que ja tinhamos feito tudo e mais nao sei que.
Mas o mais importante no meio disto tudo e que tinhamos ja aterrado em terras do camarada Mao, esse g'anda maluco (e mais nao digo, que escrevo isto da China e nao quero acabar na prisa...).


Passamos os controlos todos e ficamos abismados com o numero de pessoas a espera de outras pessoas! Nunca tinhamos visto tanta gente. Mas, la esta, estamos no pais mais populoso do mundo, pelo que nao ha falta de gente...

Andamos, andamos, andamos e la chegamos a um dos ex libris ca do sitio, o maglev. O meio de transporte terrestre mais rapido do mundo! A coisa nao anda sobre carris, mas levita, gracas a um sistema de imans (ser que estou a escrever isto bem!?). Eu estava louco. E eles tambem, ate porque pudemos apanhar o ultimo maglev rapido do dia. A coisa depende da hora do dia.
Devo confessar que o interior nao e la grande coisa. Tem um pouco de enterprise, mas esperava mais. Nao sei.



Seja como for ca esta uma foto da velocidade que atingimos...




E que nem foi a velocidade maxima, uma vez que chegamos aos 431 quilometros por hora! Acham normal!?
Faz um pouco de barulho, a aviao, mas e muito suave e confortavel. Em 6 minutos, ou coisa parecida, estavamos na cidade de Shanghai!

Dali, metemo-nos no metro. Tirei uma foto ao Scott que era para saber onde e que ele estava, que nao meio daquela gente, e nao sendo ele de grande porte, convinha saber qual a sua posicao.


Tudo treta, claro. Mas e uma bela foto, sim senhor!

E engracado ver que a China nao tem nada a ver com o Japao. As pessoas falam muito mais alto, gesticulam, nao sao tao bem educadas. Mas tambem nao tem medo cada vez que vem um estrangeiro e nao sabem como hao-de comportar-se: sentar-se ao lado do gaijin ou nao? Olhar ou nao olhar? Enfim, o costume. Mas dizia a Elecia que ja tinha saudades desse medo dos estrangeiros, que assim ninguem ia estar em cima dela, com certeza!

La chegamos ao nosso destino, depois de mudarmos de metro e qual e o meu espanto quando olho para o lado e vejo uma fotografia enorme de pasteis de nata! OH MY GOD! Comprei logo quatro! A Elecia comeu um e eu emborquei tres, que estava cheiinho de fome!!! Pena estar constipado e a coisa nao me maravilhar os sentidos...




Estavamos maravilhados com a quantidade de dinheiro que o cambio nos havia dado... E parece que o tio Mao esta em todo o lado...


Enfim... La seguimos ate a pousada de juventude onde estamos, que ate tem muito bom aspecto e tudo e tudo e tudo.

Conhecemos um ingles de Newcastle que nos levou ate a French Concession, uma zona de Shanghai. Ele ia jantar com uns amigos a acabou por nos levar. E sempre bom estarmos com alguem que ja conhece a cidade... Na verdade, nao nos queriamos impor, mas ele insistiu e fomos todos a um restaurante do Medio Oriente. Uma maravilha. E ate pudemos ver um espectaculo muito interessante...





Eu estava absolutamente exausto. Da cabeca aos pes. Nao sei se seria de ter dormido mal, se seria de me sentir completamente perdido com tanta gente, tanto carro, tanto barulho a minha volta. E preciso nao esquecer que Oita e campo, no Japao!
Sai cedo do jantar. Uma das convivas, Marie, de Franca, deu umas indicacoes ao taxista e ele la me levou ate a pousada. Cheguei, pousei as minhas coisinhas, vesti o meu pijaminha chines e fui ter com Orfeu. Eram 10 da noite e eu ja estava KO e com uma das minhas dores de cabeca...

Eles ainda foram sair. A Elecia e o Scott continuaram pela noite dentro e, pelo que ja me contaram, foi uma noite muito estranha, mas boa. Sim, cenas mesmo estranhas, desde de encontrar namorados de ex-namoradas ate a prostitutas filipinas... Chegaram ao quarto as 6 da manha! A Elecia estava obcecada - e bebeda - com a lavagem dos dentes e o Scott so tirou as calcas e caiu sobre a cama...

7 comentários:

Hannah disse...

Amei este teu post.
É bom saber que estás bem acompanhado :)

Jokinhas lindo e diverte-te muito.

Antonio Rebordao disse...

Olá!

Aproveita e continua a partilhar connosco.

Não tinha a menor ideia de que havia um Maglev em Shanghai (sabes que foi criado por um consórcio Japonês-Alemão?! Há um Maglev para testes aqui bem perto de Tóquio que já atingiu 581Km/h, impressionante desu ne?) :-)

Abraços e que a loucura continue.

Kapitão Kaus disse...

Mas que bela e interessante viagem!
É a cultura, a gastronomia, os amigos, tudo!

Abraço:)

Nuno disse...

Também ouvi dizer que em Tóquio, existe uma pequena loja que vende os "nossos" Pasteis de Nata... acho que é para o lado da estação de Shinjuku.
Quando por cá passares, vamos lá... mas aí, dos 4 pasteis só emborcas 2, pois os outro dois são para mim!
Have fun in shangai!

Ana Maria disse...

E lá vamos nós!Essa reportagem bem feita, para te podermos acompanhar. Aproveitem bem!
E o Maglev? ESPECTACULO!
Bjs
Ana

Paracletus disse...

Bem, grande crónica! Gostei.
És mesmo um bon vivant. Espero que te divirtas muito por esse país que aos poucos vai-se tornando numa das economias mais influentes do mundo. Aprecia a sua sociedade, cultura e gastronomia.
Espero mais peripécias tuas!

Aline Lima disse...

Ê vida boa, hein?
Eu já estive em Shanghai e adorei, apesar de ser inverno e ter ido sozinha...
Meu álbum de fotos começa aqui: http://flickr.com/photos/alinelima/326129976/

Agora só falta você vir em Iriomote!
Abraços