sexta-feira, agosto 15, 2008

Chapéus há muitos

Esta semana tem sido intensa. Sobretudo no que toca ao calor, que nem sei como há vida que sobrevive a isto. Vai daí, passamos muito tempo em sítios com ar condicionado. Daquele bom, sem nunca sabermos por onde a legionela!

No outro dia, depois do trabalho, fomos, para não variar, ao Starbucks e a uma loja lá mesmo ao lado... Isto depois de almoçarmos com a deliciosa Danielle (eu disse "almoçarmos com" e não somente "almoçarmos"!).










Eu e a Lauren tivemos o mesmo problema: encontrar chapéus que nos servissem! Ela tem a tola pequena e eu tenho a tola grande... Ainda pensei em comprar um (eu sei, devo estar louco, que não sou nada dado a chapéus!), mas não me servia e só havia um tamanho...

E ontem, depois de mais uma sessão de trovoadas, trovões e chuvas torrenciais, fui jantar com a Kazumi.


Não é só em Portugal que as pessoas metem conversa umas com as outras nas paragens de autocarro... Embora seja raríssimo, que esta gente é toda envergonhada, aconteceu comigo e com ela, quando apanhávamos o mesmo autocarro rumo ao centro da cidade.
É curioso que ela chama-me sempre de sensei! Já tantas vezes lhe disse que esse não é o meu nome e que me chame Angelo. Mas acho que ontem a convenci de vez! Or so I hope!
E lá fomos jantar um belo okonomiyaki! O que ela mandou vir comigo e com a foto... que não tinha maquilhagem e que não estava nada bem e mais não sei quê! Tudo mentira!

Ela não fala muito inglês e eu não falo japonês por aí além, mas ela é daquelas que não se importa com isso e falamos e rimos que nos fartamos! É raro encontrar alguém como ela por estes lados!

4 comentários:

Maria Manuela disse...

Ai babe aquele chapéu azul fica-te lindo, lindo, lindo....
bjo

leonorsousa disse...

Oh pá! Conseguiste que gostasse de ler um post em que não falas de nada do outro mundo, apenas de um dia da tua vida - embora cada dia que cá estamos seja uma dádiva, claro.
Terminei a leitura com um sorriso nos lábios. Mesmo sem a conhecer, gosto da Kazumi e diz-lhe que, com um sorriso desses, ela não precisa cá de maquilhagem para nada.
Beijos e queijos

Antonio (o outro...) disse...

Ó Ângelo para não dizer que não lhe ligo nenhuma, aqui vai um comentário (mais propriamente uma nota): sabe que o tamanho da cabeça do japoneses crece de Kyushu até Hokkaido? Uma vez também "suei as estopinhas" para arranjar um chapéu em Kyushu, até que a senhora de uma loja me disse "se estivesse em Hokkaido não tinha dificuldade nenhuma em arranjar um para o seu tamanho..". Aqui em Tóquio, claro, há-os de todos os tamanhos... O Japão não é para entender com a "lógica", é misterioso...

Angelo disse...

Amante:
- A mim qualquer coisa me fica linda! AH AH!

Leonor:
- Ainda bem! Não há coisa mais bela que um sorriso, ou no caso da Kazumi, um riso verdadeiramente sentido!

António (o outro):
- Dessa não sabia eu e qualquer dia meto-me num avião para Hokkaido só para ir comprar um chapelito!
Como sempre, aprendo sempre coisas consigo!!! Arigato!