domingo, agosto 31, 2008

Black and White Party ou a última da época

É o que me quer parecer, que as aulas começam já amanhã e, com elas, vem mais sossego. Confesso que me tenho divertido imenso, mas há que dizer que passei a festa de ontem à noite cheio de sono e cansado. 'Tou velho, pá!

Mas, antes do deboche, houve um jantar respeitável e cristão. Mas só no terceiro restaurante... Os outros dois não tinham mesa disponível para quatro...


E que tal a minha nova t-shirt!? Eu adorei e tive que a comprar, embora inicialmente andasse à procura de calções pretos...
























Acreditaram!?









Fui dos primeiros a baldar-me! Meti-me num táxi, falei com o senhor e fiz uma bela viagem de 10 minutos. Fui a pagar e só tinha 10000 ienes (a denominação mais alta). O homem estremeceu, que não tinha troco. Eu pedi desculpa, mas pensava que tinha 1000.
Só tinha 500 ienes trocados (o preço era de 680)... E foi isso que paguei, sem stress. Isto é o Japão, está-se mesmo a ver. Mas fiquei aborrecido porque o homem era um bacano! Mas não foi de propósito!

Cheguei a casa e ainda vi mais um pouco do The Godfather. Adormeci e pouco depois chegaram o Justin e a Kate, que iam passar a noite aqui. Com os copos, claro. Ele pior do que ela.
Antes do ó-ó falámos de Kant, religião, Deus e tudo mais. Só porque o Justin queria beber tanta água quanto possível para não ficar ressacado de manhã... Mas foi uma conversa bem proveitosa!

De manhã era esta a vista no meu palacete.



Tomámos o pequeno almoço - e que bom é tomá-lo em boa companhia! - falámos mais, rimos ainda mais, o Justin culpou a Kate pela competição de bebidas e depois cada um foi à sua vida!

1 comentário:

Maldonado disse...

Pelo que pude depreender das descrições que fazes do Japão, tu e a tua malta animam aí o burgo, visto que os japoneses não são muito dados a festanças e copofonias... :)
Gostei da tua t-shirt. Também sou um "consumidor" de t-shirts com dizeres irreverentes.
Realmente essa história do taxista deixou-me boquiaberto, pois, pelos vistos, os japoneses, quando querem, até são flexíveis...