sábado, abril 18, 2009

A semana

Como já devem ter reparado, esta semana foi farta em pequenos acontecimentos. Desde a vaca da porta até mais uma cerimónia na escola, ontem. Coisa mínima, mas mesmo assim uma perda de tempo! Foi a apresentação da associação de estudantes... Onde toda a gente diz o mesmo, os discursos são sempre a mesma coisa, mas foi muito giro ver o rapaz responsável ser apanhado desprevenido quando o director da escola lhe pediu para fazer um discurso! Ele nem sabia o que fazer! Os imprevistos neste país são verdadeiros monstros de sete cabeças!

Mas o dia lá se passou e, com ele, a última cerimónia até chegar o dia da minha partida. Espero...

Mas no sábado passado fui jantar com a Iwasaki-sensei e os filhos dela. Eu gosto muito dela, porque ela é frontal, decidida, divertida, com um inglês óptimo e tudo o que importa! E os filhos dela são muito simpáticos. O mais velho tem um inglês bem bom. A menina muito tímida, mas há-de lá chegar!
Fomos ao meu restaurante do costume, comer okonomiyaki. Já tenho falado desta coisa saborosa aqui diversas vezes, porque gosto mesmo muito e me deixa saciado. Pergunto-me se será possível encontrar disto em Lisboa... Mas, a bem dizer, quero mesmo é comer um bife com batatas fritas e arroz e molhanga. E umas lulas recheadas pela mamã. E qualquer coisa com coentros! Ai, ai!




O jantar foi divertidíssimo, como só poderia ser.

Já no domingo, de Páscoa, a Shauna ligou-me já a meio da manhã para ir ter com ela à igreja. Igreja que não é igreja, mas sim um espaço onde pessoas de diferentes denominações se reunem e falam.
Eu tinha lá ido já uma vez. Para um pequeno picnic indoors. As pessoas são simpáticas, sim senhor, mas eu não me senti confortável com o lado religioso da coisa.
Mas, como disse, ela ligou-me a dizer que eles iam comer outra vez, depois da uma. É burra, porque queria dizer depois do meio-dia. E eu cheguei lá já tarde.
Acedi a ir, porque ela me chantageia emocionalmente e pede a outras pessoas para falarem comigo, incluíndo uma aluna minha que faz parte da coisa.
Mas ainda bem que fui. Porque estaria em casa sozinho, a coçar a micose e, por ter ido, ainda comi uma espécie de empada de salmão que estava asolutamente maravilhosa e quero mais!



E pude tirar fotos com o Joseph, o bebé da Tina.
E com a irmã, que era uma princesa neste domingo de manhã.




Dissemos adeus e, como chegara tarde, não por minha culpa, entenda-se, que tinha que decidir o que vestir, o que calçar, e ela tinha-se enganado, não assisti a nada de religioso. Tal como gosto, que tenho cada vez mais aversão a essas coisas.

Aliás, essa é uma coisa que gosto muito da Shauna. Apesar de termos ideias muito diferentes sobre estes assuntos, eu deixo-a em paz e ela deixa-me em paz. E assim vivemos felizes.

Feliz ficou ela quando foi comprar um fatinho novo, ali em Omichi.


E não é que conseguiu encontrar um que lhe servisse no cú e nas mamas!? A última vez que andaramos à procura de coisas para ela, mesmo o tamanho maior não lhe servia e nem conseguia apertar o fecho!
Parabéns, Shauna.

Na quarta feira, tive o prazer de ver o Hiro, um dos meus amigos que mora nessa cidade linda que é Sydney.
Ele veio visitar a família e os amigos, equanto a mulher, a Judy, ficou lá pela Austrália.

Foi óptimo meter a conversa em dia, saber como vão as coisas.



Foi um encontro curtinho, que, segundo ele mesmo, não parou nos 10 dias que por aqui esteve, com tanta coisa que tinha para fazer!
Agora, pergunto-me, onde é que nos encontraremos a seguir!?

Dali a umas horas, fui ter com um grupo de pessoal. Éramos para nos juntarmos e dizermos adeus ao John e à Hanae, mas eles estavam em Kitakyushu e só estariam de regresso já muio tarde.
Não é que precisemos de pretextos, mas a Miki, a mãe do JT, estava de visita por dois dias! E juntámo-nos na mesma!




Cá estou eu e ela.



Ela nasceu nesta mesma ilha, em Saga, e vive em Las Vegas desde há muitos anos. Volta e meia vem ao Japão visitar a família.
E a mãe dela, de 90 anos, ainda atravessa o Pacífico todos os seis meses. Extraordinário!


Foi um jantar divertido, sim senhor.

E ontem, a meio de uma das aulas na minha nova escola, dou com um desenho da minha pessoa, feito por uma aluna em uns 3 minutos.


O meu cabelo não é assim, mas acho giro o pormenor da barriga e do rabito!
As coisas que estes miúdos vêm!

3 comentários:

cris disse...

Então não te lembras dos nossos planos para abrir um restaurente de Okonomiyaki em Lisboa, junto com a Angela e a Ana? Vai ser um sucesso!! :-)

Beijos

A... disse...

Okonomiyaki em Lisboa? Isso também eu queria :(
Abraço

Anónimo disse...

Oh...o desenho ta tão giro!! eheh!!
Beijocas grandes
Inês