domingo, maio 18, 2008

Jasmins

Escrevi isto ha 10 anos. Estava num periodo da minha vida em que estava um pouco confuso. Sobre o que se passara e sobre o que se ia passar. Algo como agora. Um pouco confuso.
Fi-lo numa aula de Literatura Inglesa. E saiu-me tao naturalmente. Foi a ultima coisa que escrevi. E nunca mais o fiz.



Ontem sonhei com o branco.
Tudo estava tao limpo e tao lindo que me vi so.
Ali estava eu.
Um ponto! Um pontinho pequenino tao sozinho.
Comecei entao a correr.
Para la de mim deixei curvas.
Linhas curvas.
Ainda nao sabia o que haveria de desenhar na cor branca.
Nao sabia.
Nao sei, alias.
A cor interessa-me, deveras.
Gosto muito, mesmo muito.
Acho que e uma linha recta.
A serio.
Porque?
O ponto em que eu estava era um cruzamento de uma miriade de hipoteses de desenhos.
Era um outro ponto.
Era o ponto onde eu estava.
So via jasmins.
A serio.
Para nao os pisar, e porque estavam todos alinhados, acabei por decidir, de vez, desenhar uma linha recta.

6 comentários:

Rosarinho disse...

Intrigante ...
:)

Anónimo disse...

Tão profundo Amigo...tem 10 anos..e tão actual! :)
Força com isso!!
Inês*

Mari disse...

Nem sei o que te diga meu kiko... só posso dizer que gostei muito, simples, mas com muito conteúdo...
Beijos mil da tua Maka :)

João Carvalho disse...

Parece-me que está na altura de desenhar um jasmim só com linhas rectas...

Da Costa De Carvalho desenhix

Paracletus disse...

É um excelente poema. Revela muita sensibilidade.
Tens bastante talento para a escrita.

Daniel Pipinho disse...

Ia jurar que ja conhecia este poeminha de uma vez colocado no placrad da QNE, mas nao tenho a certeza.

Seja como flor, é esteticamente belo embora indicie um cinzentismo interior ou uma pequena encruzilhada na vida.

Nada que o meu Ângelo nao resolva... Tô-lhe a dizer...

De resto, também gostei (muito) da estética da flor que escolheste para ilustrar o poema.