domingo, fevereiro 17, 2008

Basket

Ontem, sabado, fui com a Masako - que nao via desde Setembro! - ate Beppu para vermos um jogo de basketball. Nao e que seja grande fan, como sabem, mas porque nao? Antes isso do que ficar em casa o dia todo a cocar a micose.

Apesar do frio, la fomos, todos pipis. Metemo-nos no comboio, compramos um bolito para nao cairmos no fastio, metemo-nos na carreira e la estavamos, num sitio muito bonito. Ja la havia estado, mas nao conhecia aquela parte do edificio. E o B-con Plaza e e uma coisa como deve ser. Quando ca vierem pode ser que vamos la. Ok?

Os Heat Devils de Oita estavam a jogar contra os Apache de Tokyo. Aquecimentos, muito barulho com o comentador, mas havia muita musiquinha da boa, desde Queen ate I need a hero, dessa grande canconetista que e a Bonnie Tyler. Muito cantei e me abanei!

E o que nos deixou boquiabertos foi, nao so estarmos sentados no sitio errado sem nunca ninguem nos ter dito onde nos podiamos de facto sentar, mas haver um jogador com 2.11! Acham isto normal?!
E o que tambem nos surpreendeu foi o arbitro ser negro! No Japao?! WOW!

Mas a coisa comecou muito bem com uma senhora a cantar o hino nacional do Japao... E toda a gente de pe!



E jogo la continuou, connosco sem percebemos todas as regras e tal, muita correria, muito cesto e tudo e tudo e tudo.


E ca estou eu com o Mr. D, va-se la saber quem e ele. Mas uma coisa e certa: e uma das mascotes do clube.


A Masako.


E eu, ja mais para o fim do jogo... A pontuacao estava tao renhida... E eu fico nervoso, com essas coisas...


Mas Oita perdeu por 10 pontos...



Fomos a pe ate a estacao, com muita insistencia minha, deixem-me que vos diga, apanhamos logo um comboio e fomos jantar quando chegamos a Oita. A Masako ainda apanhou com cha no casaco, eu apanhei solucos, mas ambos nos fartamos de rir com as nossas historias por esse mundo fora!

1 comentário:

Daniel disse...

Como sabes sou alheio a quaisquer desportos que nao tenis ou voley; mas pela voz e afinanço da senhora que cantou o hino, terá valido a pena ir, nao?

Foi pena o final do hino nao ser apoteótico, para além de que o nao conhecia e fiquei a conhecer, mas afinal tratav-se da abertura do jogo de basket e nao de um concerto (o que foi uma pena) ;)