domingo, dezembro 14, 2008

As maravilhas arquitectónicas de Tokyo e não só

O post anterior foi o único que escrevi ainda em Tokyo. Agora, cá estou, em Oita. Na minha vidinha japonesa do costume.

Recebi já uns três emails da Shauna que está a caminho de Montego Bay, Jamaica, a sua terra natal. Neste momento está no hotel em Chicago e não consegue dormir. Como sempre, esta facilidade na comunicação deixa-me sempre surpreso!

Mas no meu segundo dia em Tokyo, e que belo dia estava, fui mergulhar em cultura. Sim, que como digo sempre, a minha vida não é só rambóia!
Fui até ao Centro Nacional de Arte de Tokyo. Bem... Só o edíficio vale mesmo a pena. É absolutamente magnífico!!!



Cheio de luz e curvas e vidro e com um ambiente fantástico lá dentro. Nem parece que se está na mega urbe que é Tokyo.

Estava patente uma exposição de caligrafia japonesa. E como eu até gosto da coisa, lá me aventurei. E a senhora à entrada passou-me um folheto para a mão. Abri aquilo e estava tudo cheio de caracteres japoneses... Eu só lhe disse desculpe... mas eu não percebo nada disto. E ela riu-se. E eu ri-me claro. Afinal, a exposição era sobre isso mesmo... Caracteres japoneses...



E que bela estava.

Mas a surpresa maior foi descobrir que havia uma exposição de Picasso no mesmo museu. E lá fui eu comprar o bilhete.
Estava na fila. Havia duas filas à minha frente, mas eu estava à espera daquela que se despachasse primeiro. Os japoneses nunca fazem isto...
Aproximou-se um casal japonês. Do meu lado esquerdo. Pensei que queriam qualquer coisa quando se dirijiram a mim... Falaram comigo e estenderam-me um bilhete. Perguntei se era mesmo para mim e eles disseram que sim.
Ou seja, fui ver o Picasso de graça. Poupei uns 20 Euros... Que deram para uns boxers Paul Smith...

E que prazer foi ver Picasso. Infelizmente, não estava lá o Guernica, mas houve muitas outras obras de interesse. E também valeu a pena ver como ele mudou de estilo e ver como andou para trás e para a frente ao longo do tempo. Interessante, sem sombra de dúvida. Pena que o espaço estivesse completamente cheio de gente... Como qualquer canto em Tokyo...



Auto-retrato no museu.



Estava fascinado e de alma lavada com aquele museu.
Continuei por Roppongi fora e fui até ao famoso Tokyo Midtown, um edifício novo, belo e deveras luxuoso lá dentro.


Ali ao lado, o 21_21. Um pequeno museu muito à frente. O Taka tinha-me aconselhado lá ir e valeu muito bem a pena. Uma exposição com cristais. Cristais que tinham sido "transformados" por diferentes músicas, com diferentes resultados. E, mais uma vez, só o espaço valeu a pena!


E a arquitectura nesta cidade - o que pensei na Sónia!!! - é sempre extraordinária. Mesmo quando menos se espera... Reparem nestes pequenos edifícios em frente ao Midtown.




Deixei Roppongi para trás, sentido-me verdadeiramente cosmopolita e culto!

Fui até Shinjuku dar uma volta, ver as vistas e comprar coisas. E, mais uma vez, esta cidade, mesmo no meio dos arranha-céus todos, não pára de me surpreender quando, ao virar da esquina, dei com umas casitas do tempo da outra senhora...


Mas, logo ali ao lado, nos tapumes de um prédio em construção, arte...


E lá continuei pelas ruas de Shinjuku...



Até que me meti na Yamanote Line, das mais congestionadas do mundo, de volta a Shibuya onde, mais uma vez, fui ter com o Alex para irmos para casa, em Urayasu.


E o inglês nesta terra, em plena Shibuya, nunca deixa de ser surpreendente...


Será que não podiam ter pura e simplesmente copiado correctamente!?

Mas cá fica Shibuya no seu melhor...



Repararam na árvore de Natal azul? É o ponto de encontro mais comum em Shibuya... Mas com tanta gente ali, é um problema encontrar alguém no ponto de encontro...
Tudo isto visto talvez do Starbucks mais cool onde estive... Mesmo ali! E eu sempre a pensar como seria giro meter a Miquelina no meio daquela gente toda!

3 comentários:

Sónia disse...

amigao!!!
quem me dera ir a tokyo!!! belos exemplos d arquitectura. o museu esta um espectaculo! pelo q vi nas fotos... nunca mais me sai o euromilhoes :)
bjs

Xanoxa disse...

Muito bonito sim!! Mas adorei ver o pessoal a atravessar a estrada!! que loucura! eheheh

bjs

Daniel Cândido da Silva disse...

Mas afinal o que é isso em Shibuya? Penso que te enganaste e filmaste a entrada no Harrod's em época de saldos! Bem dizem os velhos chineses, que uma imagem (neste caso um pequeno filme) vale mais do que mil palavras :)

Hugs