domingo, outubro 21, 2007

Desde que ca cheguei

Ja sabem bem que eu nao paro. Hoje, Domingo, fui dar umas aulas de manha! O meu chefe tinha-me pedido para ir a Niagemachi porque eles iam ter um dia de escola aberta aos pais. Eu disse imediatamente que sim, ate porque amanha posso ficar a dormir ate tarde.
Estas coisas seriam impensaveis em Portugal. Mas o papel da escola nao e, tambem, ser parte do todo, da comunidade?
Foi optimo la ir, apesar do briol que ja se vai sentindo de manha... Mas o dia continua lindo la fora, com o solzao deeessseee tamanho!

Mas logo no meu primeiro dia de trabalho (aquele que se seguiu a uma noite de tres horas de sono), foi um dia especial, porque tinha prometido fazer pao de lo com uma aula muito especial. Estes dois meninos tem algumas dificuldades relacionais e de aprendizagem. Estavam tao excitados com a minha presenca que foi um pouco dificil controlar as suas manifestacoes de alegria. Alias, acho que as fotografias o mostram!

Esta senhora e a mae de um dos alunos. Achei curioso estar a barrar a forma com um pouquinho de margarina e com um guardanapo! Quer-se dizer! Aquilo e para se fazer com os dedos. Eu disse-lho e ela la continuou a sua tarefa! Mas, para a proxima, tem que levar mais margarina!

Foi um desafio os miudos partirem os ovos. Mas safaram-se muito bem. Alias, bem melhor do que eu na idade deles.
Pergunto-me, ate, porque nao ha aulas destas em Portugal...


E como se pode ver, eu tambem fiz qualquer coisinha. Mas o que importa e a t-shirt que estou a usar, oferecida pela Pipinho's Fashion VIP Club. E tao da alta roda, que mais ninguem a tem, a nao se o menino! E fiz questao de a usar logo no primeiro dia de aulas. Claro que houve muitas risadas dos meus alunos! Mas entao eles nao sabem que "eu sou famoso na Europa"?




E entao nao e que o sacana do bolo saiu todo pipi do forno?



So me quer parecer que devia la ter ficado mais uns 5 ou 10 minutos. Mas sem a Miquelina aqui e dificil fazer estas coisas!


Esse dia passou-se... Foi divertido e comemos o bolo todo em menos de nada!

Dois dias depois, na quarta, o bello John convidou-me para ir ate sua casa somente para conhecer a sua mae que, curiosamente, se chama Angela. So por isso e boa pessoa!
Falamos equanto degustavamos uma pizza que mandamos vir. Mas nao falavamos ao mesmo tempo que comiamos, entenda-se!


Na quinta feira foi dia de festa, por duas razoes:
Primeiro porque nao tive aulas e dormi ate mais nao. Queria ir ali a um sitio ver da minha carta de conducao (embora me pergunte, tendo em conta como esta gente conduz, se e mesmo preciso uma!), mas o jet lag estava a comer-me por dentro, por isso quedei-me por casa.
Segundo porque houve um belissimo concerto a que fui assistir ao final do dia, com a Yuriko.

A primeira parte foi da responsabilidade da Banda Filarmonica de Sopro de Oita. Sim, que estou para aqui no fim do mundo, mas tambem ca temos disto!




Foi bonitinho, sim senhor. Tudo certinho, mas houve um problema grave, que ate a Yuriko comentou: no final, e quando os presentes aplaudiam, nenhum dos musicos sequer sorriu! Isso e muito estranho! Parecia que estava ali alguem com um chicote!

Nao podiam contrastar mais com o que se seguia! Mas, devo confessar, fiquei com pele de galinha quando comecaram a tocar... Eu gosto muito de musica de orquestra e nao e todos os dias, n'est pas?


Oh, oh, sim, senhor (a la Pipo): o grupo de antigos orfeonistas da Universidade de Coimbra!
Estava muito contente por ter um grupo de portugueses na minha cidade! E ainda por cima vinham cantar em grupo, num estilo que admiro bastante.
Mas fiquei danado com duas coisas: primeiro, ninguem da embaixada lhes disse que havia um portugues aqui. E isso e imperdoavel, ate segundo eles mesmos; segundo, e ate mais gravoso, ninguem daqui me disse puto! E eles, que trabalham no mesmo edificio da Camara, sabem que ha um portuga aqui e nao se xibaram de nada! Mas levaram na tola quando eu descobri! Ja sabem que o Angelo nao leva desaforos para casa!
Seja como for, foi a minha queridissima Mitsue que me foi mantendo ao corrente deste evento...

E a coisa nao poderia ter comecado melhor, cantando todos em grupo. As minhas palavras serao parcas. Limito-me a permitir que eles falem por si mesmos. Ou melhor, cantem...

























Eles estavam absolutamente exaustos, porque tinham chegado a Oita umas horas antes, no inicio da tarde. E iam meter-se a caminho logo na sexta, bem cedo! Eu nem queria acreditar! Mesmo assim, acho que estiveram optimos, sim senhor.

De referir, tambem, o publico. Que os japoneses nao se expressam muito (muitas vezes ate nas aulas de ingles lhes e "ensinado" como expressarem o que realmente sentem e ate a gesticular!) ja toda a gente sabe, mas era ver os portugueses no publico (e havia-os para alem de mim) a baterem o pe a cantarolarem (mesmo com a banda da primeira parte) e os japoneses ali, impavidos e serenos. Mas como e que e possivel, digam-me la!? Ja bem dizia a minha Tina Tuner que o publico portugues e the best!

E eu tenho, ca para mim, que a minha mae adorou ouvir e ver estes videos! O sonho dela era que eu fizesse parte da tuna na faculdade! Mas, oh mae, eu nao percebo nada de musica! E nem tenho voz para cantar! Ou nunca te apercebeste?


Mas a coisa nao ficou por aqui! Despois do belo espectaculo, fomos para o beberete da praxe. A comidinha ate nem estava ma (mas nada que se compare a comida lusa) e foi interessante ver os senhores todos a cantar quando lhes foi pedido que brindassem. Pelos vistos e uma coisa que fazem!


Aqui, o representante do grupo, ofereceu um cd ao advogado da Camara Municipal, que tambem tive o prazer de conhecer, o que e sempre bom, diga-se de passagem! Ate me convidou para irmos sair um dia. O problema seria a comunicacao... Mas isso tambem nao interessa nada!


Ja estou cansado de tanto escrever e nao devo mexer no blog nos proximos 200 anos (mentirinha!)!

Dei uns deditos de conversa com os convivas e dois deles ficaram muito espantados quando convidaram uma menina da organizacao para ir sair com eles e ela declinou. Eu expliquei-lhes que ela nao iria porque a sua chefe tambem nao iria, nem os seus colegas e nao seria indicado faze-lo! Alias, essa mesma menina, que estava num palanque a guiar a cerimonia, nem comeu nada, porque como a chefe e os demais colegas tambem nao o faziam, ela tambem nao o podia fazer. Face a isto so tenho a dizer "ridiculo". Que me desculpem, mas e disso que se trata!

Ainda vi a Kona Mei (sim, e o nome de uma menina) que trabalhou na Camara e que foi a Portugal no outro dia.

Mas foi gracas a esta menina querida que eu ali fui (e ate conseguir que me dessem um convite mesmo a porta... Senti que se sentiam mal por nao me terem de, alguma forma, incluido na coisa): a Mitsue. Ja nao a via ha imenso tempo e foi um prazer estar com ela!


E digam la que a minha camisinha nao e pipi?

3 comentários:

galifão disse...

olá boa tarde!!O meu nome é Nuno Silva e sou um dos elementos do Coro dos Antigos Orfeonistas.Queria somente mandar um abraço para um Português em terras tão longinquas e reiterar que da próxima vez que houver uma visita aí ao Japão, haverá logo uma newsletter a divulgá-lo!!!!
já agora a nossa próxima digrssão é á Russia.São Petesburgo e Moscovo pra ser mais exacto!!!
um grande abraço e bom trabalho aí no sol nascente!!
nuno silva
ncsilv@gmail.com

Anónimo disse...

Olá meu caro Compatriota!
Como membro do Coro dos Antigos Orfeonistas foi para mim grande alegria ver o interesse com que nos prestou esta homenagem!
Todos viemos do Japão bastande agradados com a forma hospitaleira e cortez como fomos aí acolhidos. E Oita terá sido o expoente máximo dessa forma de bem receber!
Visite os excertos de espectáculos que temos no YouTube
(www.youtube.com) para tal bastando fazer a pesquisa por "coro antigos orfeonistas"
Fique com os meus votos de boa sorte para si em mais um exemplo da diáspora lusitana!
Um grande abraço
Ricardo Blanco

"O Fala-B(icha)arato" disse...

Caro amigo!

Também quero expressar o meu contentamento por ter destacado um espaço no seu blog para a viagem dos Antigos Orfeonistas ao Japão, em particular, a visita à simpática cidade de Oita... Também estive lá! Foi bom ver-me a cantar, sobretudo o fado que interpretei... Gostei ainda mais das pessoas que conheci nessa cidade e no Japão!

São gratas recordações e estas perdurarão na nossa memória!

Abraços orfeónicos,
João Barreiros
barreirosjn@gmail.com