sábado, janeiro 15, 2011

Considerações sobre a actualidade

(Ler em voz grossa e colocada: Este espaço é da inteira responsabilidade do Ângelo no País das Maravilhas e nada mais é do que a sua mera opinião derivada de deduções empíricas e alguma loucura inata.)

Estive na cama a amanhã toda e apercebi-me de que tinha uns quantos bitates a mandar cá para fora sobre as coisas que se passam no mundo as we speak...
O referendo no sul do Sudão deixa-me muito feliz. Porque me faz acreditar em soluções pacíficas para situações que se arrastam há dezenas de anos. Há pessoas que vivem em guerra desde que nasceram e há aquelas que mal se lembram de viver calmamente nas suas casas, tudo porque os fanáticos do norte do Sudão queriam porque queriam impôr as suas leis e condutas a uma população que nada tinha a ver com elas. E, claro, essa populção não gostou e toma lá disto.
Depois de 50 anos, vê-se agora a luz ao fim do túnel em forma de um referendo de uma semana, cujos resultados preliminares serão conhecidos daqui a um par de semanas. Não se espera outro resultado senão a secessão e o nascimento de um novo país. A acontecer, não será sem problemas, claro. Para já, porque há problemas estruturais deixados por um combate de 50 anos, depois porque há zonas limítrofes que têm um pé num lado e outro pé no outro lado e a gente também sabe que o Sudão não é de ficar encostado à parede a ver passar a festa.
As palavras de apaziguamento e reconciliação do internacionalmente procurado presidente do Sudão serão postas à prova em menos de nada.
Era bom que este acto referendário servisse de exemplo a outros pontos do globo: Saara Ocidental, Tibete... Mas o problema nestes dois pontos que mencionei é que a população indígena, sedosa de liberdade e automonia, está já manchada pela migração calculada a soldo dos governos ocupantes... Daí que o resultado de qualquer consulta saísse naturalmente enquinado...

Finalmente algo vai ser feito em relação a um dos actos políticos mais anacrónicos do planeta: o embargo americano a Cuba. Sim, parece que o Mr. Obama vai levantar algumas restrições aos vistos e movimentações financeiras de e para Cuba. O que já não era sem tempo!
O que aconteceu há 50 anos, aconteceu há 50 anos. O mapa geopolítico do planeta já não é o mesmo e Cuba jamais voltará sequer a pensar em ter uns mísseis soviéticos apontados ao tio Sam!
Pessoalmente, não gosto de forma como Cuba é governada, embora seja preciso dizê-lo, que o Raúl tem mitigado muita coisa que o seu mano mais velho teimava em manter... Mas manter um embargo do tempo da outra senhora já não faz sentido. E confesso que adoro ver a Cuba dos carros americanos dos anos 50 a sobreviver a todas as sevícias maquinadas pelos amigos do norte contra si. Sim, que ainda há poucos anos, aquela aventesma do Bush voltou a endurecer a coisa contra os cubanos!

Ainda não tinha aqui falado desta novela do Carlos Castro e do Renato Seabra. Mas olhem que já tinho lido umas anedotas bem divertidas.
Ora bem, o que é que me interessa saber se o Renato é gay ou não!? Será que isso importa num caso de um homícidio confesso? Quero dizer, poderá vir a importar no tribunal, na malha da justiça norte-americana, onde uma palavra mal colocada pode até decidir o futuro do réu... Mas assusta-me ver que este caso fala mais da hipotética homossexualidade do rapaz do que da brutalidade e sangue frio com que terá assassinado um outro ser humano. Afinal molestá-lo já depois de morto, e como diria a Lili Caneças, é próprio de um psicopata (a Lili também diz coisas certas).
Vi hoje de manhã as notícias que davam conta de um cordão humano em Cantanhede como forma de apoio ao Renato... Mas pergunto-me eu para quê?! Então o rapaz já confessou, já se sabem os pormenores, o outro está morto...
Mais, vem um rapariga à televisão falar do seu envolvimento com o Renato. Só faltava dizer que faziam à missionário e contra a parede. Mas isso não invalida que o rapaz, quiçá por confusão com a sua indentidade ou por alguma vontade muito macabra de subir na vida, não se tenha envolvido com o Carlos Castro e feito o que fez. Na minha opinião, se o Renato estivesse mal resolvido devia era ter ido à procura de ajuda profissional, que a há; se quisesse só apanhar o elevador para cima na esfera social, que fosse paciente, que com o seu palmo de cara e o seu metro e oitenta e seis haveria de lá chegar.
No fundo, tenho a lamentar a perda de duas vidas. E nestas cenas eu sou muito kantiano: és responsável pelo que fazes e terás que sofrer as consequências.

A Tunísia anda num alvoroço. Desde há um mês ou coisa que o valha, que o pessoal andas nas ruas descontente com um governo corrupto, autoritário e nas tintas para o seu próprio povo.
Alguns de vós diriam que bem poderia estar a falar de Portugal, mas a verdade é que não estou. E nem queiram comparar uma realidade com a outra, que não tem nada a ver.
Lembro-me de ir à Tunísia há 10 anos, ainda era eu magro, e de ver um país muito mais liberal do que eu esperava. Mas também me lembro de estarmos nas ruínas de Cartago e de nos dizerem que não podíamos fotografar o palácio presidencial logo ao lado. Uma cena assim bem ao estilo de déspotas loucos.
A verdade é que o presidente lá do sítio já deu de frosques para um outro paraíso do despotismo: a Arábia Saudita. E levou a família inteira, que as casas da sua família alargada começaram a ser atacadas pela fúria popular.
A falta de emprego e de perspectivas futuras, o aumento absurdo do preço dos bens, a falta de liberdade de expressão continuada, levaram massas para as ruas. E essas massas conseguiram algo notável, porque assim a Tunísia tornou-se no primeiro país árabe cujo líder foi corrido por uma insurreição popular. E isto é tanto ou mais notável como poderá vir a acender o rastilho para outros países nas mesmas condições... Um Egipto, uma Argélia, uma Líbia (todos com realidades um nada diferentes, mas com uma macro semelhante). Lembram-se do que aconteceu com a revolução laranja na Ucrânia? Ah pois é, bebé. Os líderes-decanos-déspotas-iluminados árabes que não se metam a fancos, não!

Finalmente, as presidenciais cá do burgo... E deixem-me dizer que só falo destes três porque me apetece. Há outros três de quem sei muito pouco, por isso não me irei alongar sobre eles. Mas um deles tem piada e já andou a ver o condomínio fechado mais caro que o palácio da Zarzuela de nuestros hermanos...








 Já não aguento mais, sinceramente. O senhor da foto ao lado comporta-se como um menino mimado que não fala. Tudo é tabu, tudo é segredo e fala quando lhe apetecer! Mas cá para o meu lado, não, meu caro! Eu quero respostas é agora. E acho que toda a gente lhas devia exigir! Afinal como é a cena da SLN? E como é a cena da casa de férias no Allgarve?
E ainda padece de outro problema que é o de falar quando não deve... Como fez quando passou a lei do casamento de pessoas do mesmo sexo, só porque iria dividir a sociedade portuguesa. Caro Cavaco, ou passa porque concorda e fica lá no palácio ou chumba porque não concorda e escreve porquê.

Não é segredo que me enquadro mais na linha política deste senhor do que nas outras. Já o tenho dito aqui. Mas já não tenho paciência para o discurso da resistência e do 25 de Abril. That's so like 20th century! E depois acho perfeitamente descabido o PS trazer o senhor ao colo só porque se posicionou melhor do que o Soares na última aventura... Porque, para mim, é tudo uma questão de coerência.
Resumindo e concluindo, acredito... mas de uma forma muito céptica e pouco convencida...

Eu tinha que falar deste senhor. Ele é-me tão desconhecido, como certamente será para 95% dos portugueses, que até tive que ir à procura do nome dele, que já não me lembrava! E é basicamente isto que tinha a dizer dele. E relembrar ao PCP, que Portugal não é a República Popular da China nem a República Popular da Coreia do Norte, onde os comités - palavra tão em desuso como o Pacto de Varsóvia, a dicotomia patronato/trabalhadores ou como a demais propaganda ao estilo soviético - que decidem os destinos de um povo são de pessoas desconhecidas, sem face e saídas directamente da forma do sistema!

Resumindo e concluindo, ainda não sei em quem hei-de votar.

5 comentários:

Vanessa disse...

Em relação a Cuba, de facto alguma coisa tinha de ser feita, o mundo mudou e a leis têm de forçosamente acompanhar os tempos.
Quanto à novela Renato-Castro, não poderia concordar mais contigo e acrescento ainda que nenhum destes "cordões" aconteceria se a vítima fosse heterossexual. Entristece-me profundamente quando um acto terrível como um homícidio é esquecido ou subvalorizado em detrimento de uma orientação sexual. Homícidio é homícidio, seja a vítima hetero, homo ou bissexual, é sempre hediondo e isso é que deveria ser levado em conta.
Quanto ao outro folhetim, o das eleições: também estou como tu - nunca me foi tão difícil decidir em quem votar...

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Saúdo as convulsões tunisina e no Sudão apesar dos inevitáveis preços.

Qto às presidenciais e começando pelo PS partido que apoia o teu candidato que pôs esta merda (o PS) pior do que NUNCA e devia ser responsabilizado CRIMINALMENTE por má gestão pública (é que nem enumero os casos) tem (o Manuel Alegre) "um enorme distanciamento em relação a problemas concretos e a ignorância em relação aos dados económico-financeiros mais relevantes são a confirmação de um romântico que parece ter parado no tempo, lá pròs idos de 75. Que apresenta uma ideia/proposta para interromper a campanha e até talvez adiar a data das eleições para ir dar uma palavrinha (com a ajuda, talvez, dos seus dons de oratória e poesia) à Sra. Merkel e aos outros grande da Europa para que façam a uma atençãozinha a Portugal e nos ajudem a resolver esta crise, o que podia até ter graça se não fosse completamente absurdo."

Mas se pensas que vou votar Cavaco, nao vou. O Homem é um falso puro, nunca se mete em nada, tipo agradar a gregos e troianos e tu sabes como eu detesto gente assim, e agora que está em campanha é que la vai dizendo o que realmente acha do país e do Governo, mas até lá estava caladinho para garantir a simpatia do povo. Infelizmente acho que nao ha outro candidato que consiga, nesta conjuntura que o PS deixou e nao foi a crise internacional coissima nenhuma que despoletou isto, apenas acentuou o mal canceroso que ja ca havia por culpa pessoal do PS Governo), apenas penso que teremos de engolir o Cavaco na 2ª legislatura, mas pelo menos resta-me a consolação de que deverá ser mais interventivo e crítico do que falinhas mansas com o Governo. Quem fica sempre mal é o país e o cidadão comum.

Nao votarei branco nem nulo mas votarei em qualquer um dos outros, ate porque nao conseguirao ganhar e assim reduzir a margem de votos de Cavaco. Qto a Alegre, grandes trocas e baldrocas com o cheque que disse que devolveu, mas que afinal nao era cheque, disse o banco, mas sim transferencia bancaria, mas ele disse que isto, e foram so contradições... isto nao tem semelhança com o BPN onde Cavaco deu o nome e vendeu as acções a um preço rentavel embora devesse ter cauatelado o que se estava a passar.

Seja como for, nao sou subserviente a partidos e mudo sempre que nas eleições em causa penso haver partidos que naquele momento estao mais bem posicionados...

Sobre Carlos Castro, ja me pronunciei (ate por engano) no teu anterior post) mas sobretudo o que me indigna é tratarem isto tudo por ele ser homossexual (ser gay nao da direito a que seja uma optima pessoa como agora quase o querem canonizar) mas sim ver o sucedido como PESSOA assassinada e nao por ser gay. De resto aquilo de Cantanhede em apoio a Renato Seabro é morbido e absurdo. (Vidé meu comentario no teu anterior post)

Hugs

Pulha Garcia disse...

Nunca tinha lido um post deste género aqui no teu blog, Angelo, mas a tua análise de bitaites está muito bem fundamentada.

Devo dizer que concordo com cada linha que escreves, apesar de em matéria de eleições presidenciais estar a pensar votar Cavaco. De qualquer forma, e já que ainda não decidiste em quem votar, posso partilhar contigo uma reflexão. Se eu não votar Cavaco votaria seguramente no Nobre. Porque tem mérito no que faz e porque tem ideias claras (temos excesso de deputados, temos excesso de institutos públicos, etc).

Um abraço

Sofia Feliz disse...

Olá Ângelo!

Já à imenso tempo que não venho aqui...

Concordo contigo, em tudo o que dizes sobre a Tunísia. Estive lá em 2001 e raios partam tanta metralhadora frente a edifícios com a bandeirola nacional, que não se podia fotografar! Irra, também fiquei farta da foto do fulano que agora deu de frosques...

Do Sudão conheço pouco da história, mas se há uma voz do povo que pede mudança, estou com eles. Não me cheira é que isso fique assim tão facilmente resolvido... África é sempre um caso complicado, muitas milícias, muitos interesses, religiões diversas... não sei, não!

Da novela portuguesa passada nos States, só te digo que mete nojo tanta resposta igual: "se ele fez isso lá teve os seus motivos...", ok, eu hoje mato o meu vizinho da frente porque diz foda-se a toda a hora a ver futebol e eu não o curto. Isto serve de justificação?!
As pessoas são tão parvinhas... Apoiar alguém que mata?! Enfim, o que enoja também é o excesso de mediatismo...nem se pode ver tv!

As eleições: não faço a mínima ideia de quem é o gajo do PCP, o Nobre fala muito, mas as justificações são desenquadradas da realidade portuguesa, fala muito de experiências em África, nas missões...e o que é que isso ajuda aqui o burgo?! O Cavaco não diz nada, e o Alegre enjoa-me, até porque disse tanto mal do Sócrates, como o Sócrates disse dele... agora é vê-los a "serem amiguinhos" a tentar enganar o povo só para receberem votos, e eu não tenho memória curta...
Como tal, pela 1ª vez pondero recorrer ao infalível método "anani-ananão-ficas-tu-e-eu-não!" assim como assim a córgia muda de cor, mas a merda é sempre a mesma.
Bjs!

amsf disse...

As elites nacionais vão receber o meu cartão vermelho da mão do candidato José Manuel COELHO!

Ainda acredito numa 2ª volta que depende dos portugueses e não das empresas de sondagens...