segunda-feira, janeiro 24, 2011

Ainda as eleições ou a minha reclamação para a CNE

Acabadinha de mandar...

Caros senhores,

Como decerto saberão também, houve de facto muita confusão no acto eleitoral de ontem. E eu, votante que sou, não fiquei alheio a essa mesma confusão, ainda que de uma forma, digamos, mais mitigada.
Foi a primeira vez que votei na freguesia onde agora resido. No final de 2009 alterei o meu recenseamento para esta freguesia e lembro-me claramente de ser dito que não precisaria de nenhum documento com o número de eleitor, já que o meu novíssimo cartão de cidadão seria suficiente.
Felizmente, levei comigo o tal papelote da junta de freguesia para a mesa de voto, o que em muito me facilitou o acto de votar.
Pergunto, porém, se este documento com o meu novo recenseamento seria mesmo necessário? Não deveria o cartão de cidadão supostamente eliminar todos os outros e, com isso, eliminar também o cartão de eleitor, mesmo não tendo o número nele impresso?

Mas esta não é a questão mais premente. A minha dificuldade foi, e precisamente porque era a primeira vez que votava nesta freguesia, saber exactamente onde votar. Tentei entrar no vosso site e tal mostrou-se inglório. Não me queiram os senhores dizer que havia muita gente a tentar entrar no mesmo site, que isso eu bem sei, mas também sei que um site como o vosso e na altura de eleições deveria estar mais do que preparado para uma avalanche de acessos. De quem será a responsabilidade de eu, como muitas outras pessoas, não terem conseguido entrar no vosso site?
Dei mais algumas voltas pela internet, e consegui mandar a tão famigerada sms para um número que me daria indicações do meu número de eleitor e do local de voto. Esperei horas.
Entretanto, e porque queria exercer o meu simples direito de voto, lembrei-me de aceder à página da minha junta de freguesia onde, felizmente, estava a informação de que precisava. E lá fui votar. Por entre filas de pessoas algo perdidas.

Por fim, lá recebi a vossa sms. Depois do acto completo e num tempo já inútil. Aliás, o conteúdo da vossa sms também em pouco me esclareceu, pois indicava simplesmente o número de eleitor - que por acaso tinha em dia! - e a freguesia onde tinha de votar. Pergunto da utilidade desta informação? Pergunto, também, se tal sms não poderia indicar o local concreto de voto? Seria tudo tão mais fácil. E ainda mais interessante seria saber o porquê de tanta demora? Do meu conhecimento de tecnologias de informação, os servidores foram feitos para que a comunicação se processe mais rapidamente.

Em suma, e como cidadão pagante deste acto eleitoral, gostaria de saber quem é o responsável por tudo isto? Como é que uma comissão nacional de eleições pode não ter pensado em todos os pormenores de uma eleição? Como é que uma comissão nacional de eleições poderá ser eticamente íntegra se permitiu que alguns cidadãos não votassem?

Aguardo resposta a todas as minhas questões.

Sem mais,
Angelo Meneses

6 comentários:

Astrid disse...

Olá, Angelo. Eu acho que para mim a coisa correu relativamente bem, porque uma semana antes eu já andava atrás da informação. Mas confesso vi filas e gente mais do que baralhada. Fazes muitíssimo bem de cobrar respostas (se me permites, envia é com carta registada). Bjs!

Astrid disse...

Eu sei Angelito... Resiliência e cantar uns mantras que eu não quero rugas antes da hora! :P E olha que eu tive que usar caneta e papel e há séculos eu só usava meios digitais para votar. Aaahhh, tá sem!:) Quando te vemos por aqui no Norte? Festa rija! :) Abreijos!

Astrid disse...

Digo, tá-se bem! Ooops. Bjs!

Kapitão Kaus disse...

Lamentável e patético! Parecemos uma república das bananas!
E pensar que o autor do plano tecnológico é o mesmo que ainda é 1º ministro e, agora, não parece incomodar-se muito com o sucedido...
Na minha terra, isto levava um português vernacular que faria corar tudo e todos!

Abraço:)

Astrid disse...

Angelo-> "vem vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer..." Conheces? http://www.youtube.com/watch?v=5rtU0pg-kkw
Bjos!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Um outro amigo meu diz-me isto: "Só consegui votar às 18.58 horas. A SMS do MAI ainda não chegou. E, quando fui, ainda lá estavam 40 a 50 pessoas que, acho, não conseguiram votar, porque as mesas fecharam!"

De resto, essas coisas já estão em averiguações, embora saibamos que nunca dão em nada.

Eu tenho o cartao de cidadao mas guardei, just in case, o cartao de eleitor, a prever este tipo de situaçoes...

Hugs