terça-feira, maio 18, 2010

O famigerado IEFP

Já recebi a resposta do IEFP, em forma de carta. Há pouco.

Não tenho direito ao CAP. Tudo bem, até aqui. Até porque a carta explica o porquê tintim por tintim... Basicamente, só poderia ter o CAP por experiência se a tivesse tido há dez anos atrás. Desde então ou teria feito as disciplinas pedgógicas do meu curso ou tirado um curso de formador.

Mas vou reclamar na mesma. Não por não me ter sido dada a coisa, mas porque acho que tudo isto foi tratado de forma ridícula. Sem respostas ao e-mails. Mais de 6 meses sem darem peva.
É só eu ter tempo para lá ir... Até porque já perguntei onde posso ir reclamar... E se não me responderem, vou ao centro da Amadora.

No meio disto tudo, se houvesse gente informada nos centros, e com a descrição da minha experiência, o senhor que me aceitou os papéis ter-mos-ia logo declinado e eu, que estive desempregado e a coçar a micose não sei quantos meses, já tinha feito o raio do curso e assim se evitaria mais uma paulada na cabeça de não sei quem!

3 comentários:

Maria Magnólia disse...

É assim mesmo meu caro Angelo! Reclamar pelas coisas é tão pouco português e geralmente quem recebe a contestação fica surpreendido, mas é um direito nosso pelo qual devemos usufruir.
Agora jamais reclamemos pelo amor do Senhor, isso nunca.

Visite, comente e não deixe Jesus descontente!

silvestre disse...

Vistas as coisas 6 meses até não é muito mau tendo em conta a qualidade dos serviços. Mas reclama. Há que aprender a deixar queixs no livro de reclamações. Certa vez estive no centro de saúde a instigar septuagenários e octagenários a escrever no livro de reclamações em vez de ficarem ali na ladainha. Eu reclamei, eles disseram que isso era bom para os jovens. É a realidade que temos...

xuxidiva disse...

livro amarelo sim, que senao ninguem se responsabiliza.